30/10/2011

AS DIVIDAS DOS MORTOS

Noticia do dia.

Aproveitando a chegada do dia de Finados - que na Espanha é celebrado no dia 1º de novembro - a prefeitura colocou adesivos nas lápides advertindo que a sepultura está com pagamento vencido e que os familiares tem 15 dias para saldar suas dívidas, em geral ligadas a taxas de manutenção dos cemitérios.relacionadas a taxas .
Tópicos relacionados

Não pagar neste prazo significará que os restos mortais serão exumados, removidos das sepulturas e colocados em valas comuns. Mais de dois mil jazigos e nichos receberam o adesivo.

JULIAN BARNES

O autor de "The Sense of an Ending" o escritor britânico Julian Barnes é o vencedor do Prémio Man Booker 2011, para ficção com o romance que tem como tema a amizade na infância, o suicídio e as imperfeições da memória. "The Sense of an Ending", é sobre o tempo e a memória e o modo como o tempo afecta a memória, já foi comprado pela Quetzal, e será publicado em Portugal em breve.

É caso para dizer que à quarta foi de vez.

Julian Barnes, 65 anos, autor de dez romances e de três livros de contos, esteve três vezes na lista dos finalistas do Prémio Man Booker para ficção, com os romances "O Papagaio de Flaubert" em 1984; "Inglaterra, Inglaterra", em 1998, e "Arthur & George", em 2005.

PULP

A maioria das bandas atingiu o grande momento imediatamente ao desaparecimento, outras a construindo uma sequência lenta e dedicada, subindo o caminho até ao topo. Pulp não seguiram uma rota. Durante os primeiros 12 anos de existência,definhavam na obscuridade, lançando um punhado de álbuns e singles nos anos 80, para quase nenhuma atenção.

No virar da década, o grupo começou a ganhar audiência, dando início a uma guinada que fez a banda uma das mais populares grupos britânicos dos anos 90. No momento em que se tornaram famosos passaram por várias e diferentes e mudanças de estilo e de lineup, cobrindo o indie rock, pós-punk e dança.

O som da assinatura é uma fusão de David Bowie e Roxy Music, glam rock, disco, new wave, acid house, Europop e indie rock britânico. Sintetizadores baratos do grupo e melodias arrebatadoras reflectem as obsessões líricas do lider e vocalista Jarvis Cocker, que alterna entre sexo e nítidos retratos engraçados da desajustada classe trabalhadora.

Jarvis Cocker formou os Pulp em 1978, quando tinha 15 anos de idade. Originalmente chamados de Pulp Arabicus, a primeira formação consistia nos colegas de Cocker. Depois de um ano, o nome da banda muda para Pulp.

A partir de Janeiro, Jarvis terá carta branca para adquirir, em nome da Faber, os direitos dos livros (prateleira M, de música) que achar recomendáveis

Até à semana passada, a Faber tinha no seu catálogo 12 Prémios Nobel da Literatura e mais seis Prémios Booker; agora também tem um rapaz de óculos e já um bocado grisalho que cita Balzac em qualquer circunstância (até nas mais impróprias, tipo um concerto em Paredes de Coura) e que, depois de ter passado décadas a ganhar a vida como vocalista dos Pulp, vai passar a ter um salário de editor.

A partir de Janeiro, Jarvis Cocker terá carta branca para adquirir, em nome da Faber e em estreia colaboração com os editores Lee Brackstone e Hannah Griffiths, os direitos dos livros (prateleira M, de música) que achar recomendáveis. "

Lisbon Estoril Film Festival 2011

A quinta edição do Lisbon & Estoril Film Festival 2011, a primeira a abranger Lisboa, vai contar com dez antestreias nacionais, 11 filmes em competição e mais 11 fora da competição. Grandes nomes do cinema e realizadores emergentes são a aposta de Paulo Branco, produtor e director artístico do certame.

Os novos filmes de George Clooney ("Nos Idos de Março"), Pedro Almodóvar ("La Piel que Habito"), Gus van Sant ("Restless"), David Cronenberg ("A Dangerous Method"), Lars von Trier ("Melancholia"), Roman Polanski ("Carnage"), Nicolas Winding Refn ("Drive"), Bertrand Bonello ("L'Apollonide (souvenirs de la maison close)"), Jean-Pierre e Luc Dardenne ("Le Gamin au Vélo") e Agusti Villaronga ("Pa Negre") têm a antestreia nacional marcada para a edição deste ano.

E estarão no festival Léos Carax, Matthew Barney, David Cronenberg, Yasmina Reza, Christopher Doyle, Paul Giamatti, Miquel Barceló, e os irmãos Dardenne.

O júri do festival será composto pelos escritores J. M. Coetzee, Paul Auster, Peter Handke, Don de Lillo e Siri Hustvedt, pelo realizador Luca Guadagnino, pelo violinista Gidon Kremer e pelo artista plástico José Barrias.

Fora da competição, o festival vai exibir o vencedor do Leão de Ouro em Veneza, "Faust" de Alexander Sokurov, a mais recente obra de Philippe Garrel, "Un Été Brûlant", e "Killer Joe", de William Friedkin - objecto de uma retrospectiva, com oito filmes, entre os quais "Bug", "The Boys in the Banda", "The Birthday Party" ou "Viver e Morrer em Los Angeles". "I Wish", de Hirokazu Koreeda; "Los Pasos Dobles", de Isaki Lacuesta; "Las Razones Del Corazón", de Arturo Ripstein; "Tokyo Park", de Shinji Aoyama; "Abrir Puertas y Ventanas", de Milagros Mumenthanler; "La Folie Almayer", de Chantal Akerman; "Policeman", de Nadav Lapid; e "Saudade", de Katsuya Tomita, são os filmes que compõem esta secção paralela à competição.

dEUS

Os belgas vão voltar a Portugal, depois de terem passado ainda este ano pelo Festival Sudoeste, para dois concertos, um no Porto, a 3 de Fevereiro, 2012 e outro em Lisboa, no dia 4 de Fevereiro, na Aula Magna, em Lisboa,.

Os dEUS vem apresentar no Teatro Sá da Bandeira, no Porto, o seu mais recente trabalho, “Keep you close”, editado em Setembro.

Depois do muito aclamado primeiro álbum, “Worst Case Scnario”, seguiram-se “In a Bar, Under the Sea” (1996), “The Ideal Crash” (1999), “Pocket Revolution” (2005) e “Vantage Point” (2008).

Os bilhetes estão há venda nos locais habituais a partir de segunda-feira e o preço é de 25 euros no Porto, enquanto em Lisboa varia entre os 25 e os 30 euros.

NICOLA CONTE

Conte pega na herança dos grandes mestres do jazz, dá-lhe o toque certo de modernidade e torna-a vibrante aos olhos do século XXI, buscando inspiração à obra de poetas como Dylan Thomas ou Langston Hughes e investindo num ecléctico universo de influências (deixem entrar a bossa nova e a música indiana...). "Love & Revolution", o álbum que vem apresentar, é mais uma amostra do caldeirão musical de Nicola, o estudante de música clássica que agitou a cena "acid jazz", e deu largas ao gosto pelos ritmos exóticos e produziu electrónica com um neo-jazz sublinhado por movimentos "easy-listening" (que o incluiu no contigente internacional onde se inscrevem nomes como Thievery Corporation ou Jazzanova).

FESTIVAL SOY 9 NANTES, FRANÇA


Hoje no Festival Soy, Nantes, França:
Jovem grupo Português cuja música instrumental tingida de krautrock, psicadelia e synth-pop é uma reminiscência de Animal Collective ou John Talabot e um lado incomun de house music.

Desde o final dos anos 80, o australiano multi-instrumentista Oren Ambarchi explora os sons fora dos sentidos da batida.A experimentação sonora minimalista, e noise electro-acústico. Já gravou alternadamente com Fennesz, Jim O'Rourke, Keiji Haino, Toshimaru Nakamura, e Keith Rowe ... Os seus concertos são como uma espécie de viagem no deserto australiano: liderada por sons de guitarras e samplers.

Silver Apples, repetitivos drones cosmicos e eletrônicos,do duo lendário e misterioso dos anos 60 que voltam para a versão solo: Simeon Coxe perpetua o nome desse trágico grupo, fundador da música eletrônica com um sintetizador feito por ele.

Com a cabeça de vagabundo celeste e voz sensivel de entoações soul, nos seus contos incorpora todos os valores anti-americanos. Distinguiu-se como Palace Brothers ou Will Oldham, e trabalhou com Sage Francis, Johnny Cash ou Slint.

DIRTY PROJECTORS

Os Dirty Projectors têm um novo disco quase concluído. A edição deverá ocorrer na Primavera de 2012.

O vocalista Dave Longstreth antecipou à Spin que uma das novas canções, «Maybe That Was It», é uma resposta a «Is This It», dos Strokes. Uma outra, «About to Die», é «tipo Thriller».

«Terror Vast» e «Swing Low Magellan», esta última inspirada nos GPS, foram outros títulos revelados. O músico explicou ainda que o álbum é centrado no receio e no horror, além de ser mais despido que o anterior «Mount Wittenberg Orc», uma aliança com Björk.

Os Dirty Projectors são liderados pelo prolífico e eclético músico Dave Longstreth, cantor e compositor cujos arranjos musicais resultam de uma estranha e complexa união entre a melodia e uma cacofonia controlada, entre o ‘hi-fi’ e o ‘lo-fi’.
O álbum "Rise Above" resulta de um tributo aos Black Flag, apresentando uma muito particular re-escrita do álbum de 1981 “Damage”, e foi nomeado para o prestigiado prémio Plug Award, na categoria de Best Avant Álbum.

Há um mundo de referências cruzadas na música do genial Longstret: gagueira modal riffs do Mali, melodias sinuosas de ópera ou teatro musical moderno, Captain Beefheart, rock do Zimbabué, King Crimson, Talking Heads, Dan Hicks and his Hot Licks ".

28/10/2011

THUNDERCAT - Stephen Brunner

Stephen Brunner é conhecido essencialmente por tocar o seu baixo para os Suicidal Tendencies, Snoop Dog, Erykah Badu, Sa-Ra Creative Partners, Austin Peralta, J*Davey ou Flying Lotus. E além do nome para o seu projecto ser de um conhecido desenho-animado dos anos 80 pouco mais se sabe da sua biografia.

Thundercat "The Golden Age of Apocalypse", jazz fusão anos 70, é o arranque de Brunner a solo - Roy Ayers, George Duke, Herbie Hancock, Jaco Pastorius e Billy Cobham.

MEIO METRO de PEDRA - documentario rock n roll Portugal

Começou em Outubro a exibição país-fora do documentário Meio Metro de Pedra, apresentado como uma “emissão independente sobre a contra cultura do rock `n´roll em Portugal”. O documentário tira o retrato ao rock `n´roll em Portugal desde o seu surgimento no fim da década de 50 até aos nossos dias.

Para contar esta  história, Eduardo Morais, o realizador, foi falar com : Daniel Bacelar, Os Diamantes Negros, Victor Gomes, Victor Queiroz (Electrónicos / Os Steamers, Madalena Iglesias, Filipe Mendes (Chinchilas / Heavy Band), João Alves da Costa (Jets), Luís Futre (Milkshake / Bee Keeper / Groovie Records), Edgar Raposo (Groovie Records), Óscar Martins (Aqui D´el Rock), Francisco Dias (Dawnrider / Blood & Iron), Eduardo e Nazaré Pinela (Emílio & a Tribo do Rum / Capitão Fantasma), Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Carlos Moura (Cães Vadios), Filipe Varejão (Cabeças de Gado), Henrique Amaro (Antena 3), Victor Torpedo (Tédio Boys / The Parkinsons / Blood Safari), Pedro Chau (The Parkinsons / Blood Safari), Rui Ferreira (Lux Records), Raquel Ralha (Belle Chase Hotel / Wraygunn), Suspiria Franklyn (Everground / Les Baton Rouge), Fausto da Silva (Rádio Universidade de Coimbra), Tó Trips (Lulu Blind / Dead Combo), Fast Eddie Nelson (Gasoleene / the Riverside Monkeys) e Nick Nicotine (Hey, Pachuco! / Barreiro Rocks).

Podem ver a lista de locais por onde este documentário vai passar nos próximos tempos no blogue oficial do documentário.

PANDA BEAR

Numa co-programação Filho Único -Lux Frágil, inserido na mensalidade Green Ray do Lux, tendo por companhia na mesma noite (noutro palco)25 Novembro, outro artista contemporâneo do som, Ricardo Vilallobos, Panda Bear apresenta-se em concerto em Lisboa pela primeira vez desde o lançamento de ‘Tomboy’, em Abril deste ano.

SAMUEL L. JACKSON

O Livro de Recordes do Guiness andou a fazer umas contas/pesquisas, quanto venderam os filmes em que cada actor participou, e descobriu qual a estrela de cinema mais valiosa no box office.

Os nomes que nos ocorrem em primeiro lugar é Tom Cruise, Johnny Depp com a saga de Piratas das Caraíbas mais uns quantos Tim Burton, Harrison Ford com Indy e Star Wars, Bruce Willis, Will Smith.... mas não são os Reis dos dólares.

O grande rei da box office é... Samuel L. Jackson!...

Jackson, nos últimos 20 anos, participou em média quatro filmes por ano. As presenças nos filmes Marvel, os episódios I, II e III de Star Wars, Jurassic Park, The Incredibles, Kill Bill, e Pulp Fiction... mais os sete filmes que tem em produção! tudo junto até agora os filmes de Jackson já renderam, 7,42 mil milhões de dólares na box office.

Jackson, nos últimos 20 anos, participou em média em quatro filmes por ano

CANAL 180

O canal 180, um canal colaborativo feito a partir do Porto, comemora neste dia 25 de Outubro 6 meses. O novo canal de televisão dedicado exclusivamente à cultura e criatividade na posição 180 da grelha Digital HD da ZON. Com início de emissões regulares, segunda-feira, dia 25 de Abril, o canal surge na sequência do projecto vencedor da 2ª Edição do Prémio Nacional das Indústrias Criativas Unicer/Serralves, desenvolvido pela OSTV.

Este projecto de televisão independente, com um modelo inspirado em princípios de colaboração e co-produção, tem como objectivo oferecer uma cobertura mais ampla e representativa da produção artística actual, do cinema à música, passando pela arquitectura, fotografia, arte contemporânea, design, jornalismo, animação, pintura, graffiti, etc.

A programação aposta na divulgação da actualidade cultural através de um Magazine Diário, e numa selecção de Documentários nacionais e internacionais. "Pela sua capacidade de abordar diferentes temas, lançando perspectivas originais sobre novas realidades e pessoas, o documentário apresenta-se hoje como um formato essencial para perceber o mundo em que vivemos" refere Nuno Alves - Director de Programação.

O canal que ocupa a posição 180 está disponível, desde o primeiro dia, em todas as plataformas: Na internet Youtube,em iPad e iPhone através de aplicação própria Canal 180 na iTunes Store gratuitamente.

OSTV é um projecto de televisão independente que pretende oferecer uma cobertura mais ampla e representativa da produção cultural portuguesa, promovendo o desenvolvimento do talento nacional e de novos formatos televisivos.

FESTIVAL SEMIBREVE 2011

A primeira edição do SEMIBREVE, o festival de música electrónica, dia 10 Novembro, no Mosteiro de Tibães, Braga, há palestras e debates que com Hans-Joachim Roedelius, Taylor Deupree, Stephan Mathieu, Vitor Joaquim e Tony Herrington.

No dia seguinte, no Theatro Circo, há Qluster + Luma. Launisch, Taylor Deupree + Stephan Mathieu e Jon Hopkins.

No dia 12 de Novembro, no Theatro Circo há Fennesz, Blac Koyote e Alva Noto. A fechar, Vitor Joaquim e Murcof + Anti VJ.

O preço dos bilhetes para 3 dias na Sala Principal e Pequeno Auditório são 20 euros.

AMPLIFEST 2011

Chegou o dia a hora, (e eu vou perder um espectáculo destes, a crise chegou ás minhas decisões/escolhas, custa 50 euros, não há bilhetes só para um dia, senão estava lá sem falta - mas eu compreendo a razão do André e a sua equipa - mas posso discordar) é já este sábado e domingo o primeiro Amplifest, no HardClub. Desculpas para faltar = zero.

ONEOHTRIX POINT NEVER

Em 2010 lançou anterior e excelente Returnal, o Brooklyn synth-drone Oneohtrix Point Never aka Daniel Lopatin tem a caminho um novo álbum intitulado Replica, e usa uma animação para complementar o official video - sai dia 8 de Novembro via Software Recording Co. / Mexican Summer.

22/10/2011

DAVID J

David J, Not Long For This World
O ex-Bauhaus e baixista David J, está pronto para lançar um novo álbum a solo chamado, Not Long For This World, com músicas novas e covers de músicas dos Smog, Ed Harcourt, Tom Waits e Dennis Wilson - e vai revisitar os Love and Rockets, num tributo, Luv’n Rockets, tocando dois shows na Califórnia na próxima semana.

O álbum financiado no Kickstarter, tinha sido programado para esta semana, agora chega a 1 de Novembro via Starry Records. As 12 faixas do primeiro álbum a solo em oito anos, descrito como um álbum conceptual, o assunto aqui é a mortalidade,“rich, gothic cabaret-inspired album”, será lançado em CD numa edição limitada LP duplo, que contará com um assinado “one-of-a-kind” artwork, criada por David J representando cada música.

Antes de o álbum chegar, no entanto, David J está programando o tributo banda, Luv'n Rockets na área de Los Angeles - durante o qual vai temas completos de músicas dos extintos Love & Rockets.

Finalmente, David J tem um par de produções teatrais a surgir também na área de Los Angeles. A encenação “The Chanteuse and the Devil’s Muse”, em 12 de Novembro, além de Bauhaus " Dead Bela Lugosi ", filmado por Dustin Lane. E também no palco “Silver for Gold (The Odyssey of Edie Sedgwick)” a partir de 30 Novembro, a 4 Dezembro.


1. Because You’re Gone (Paul Wallfisch/Annie Bandez)
2. Gloomy Sunday (Rezso Seress)
3. Dead and Lovely (Tom Waits)
4. St. James Infirmary (Traditional)
5. Hank Williams to the Angel of Death (David J Haskins/Marcelo Radulovich)
6. Spalding Gray Can’t Swim (David J Haskins/George Sarah)
7. Eulogy for Jeff Buckley (David J Haskins/Damien Youth)
8. Dagger in the Well (David J Haskins)
9. The Last Cigarette (Ed Harcourt)
10. Dress Sexy at my Funeral (Bill Callahan)
11. Farewell My Friend (Dennis Wilson)
12. Not Long For This World (David J Haskins/Michael Berg)

HEATMISER

LEMONHEADS


É um bom ano para o cantor e compositor Evan Dando. Depois de uma turné acustica com ingressos esgotados, ao lado da ex-colega Juliana Hatfield, Dando volta para a estrada mais uma vez com The Lemonheads.

Da performance do seminal LP, It’s a Shame About Ray, de 1992 o trio the Boston, MA, - apresenta Dando, agora ao lado do guitarrista Josh Lattanzi (The Candles), e o baterista Brian Nolan (American Hi-Fi) - tem esboçado uma ambicioso turné que os levará até 2012, com datas alinhadas em lugares na América do Norte e Reino Unido. Além do mais vão lançar um álbum em Fevereiro.


The Lemonheads 2011/2012 USA-Reino Unido, Tour Dates: começa a 21/10/2011 – Chicago, IL @ Double Door, e termina a 14/3/2012 – Hoboken, NJ @ Maxwell’s.

FIELD MUSIC

Field Music - Measure (2010)

BILL CALLAHAN

Bill Callahan - Rough Travel for a Rare Thing (2010).
Bill Callahan o seu último álbum surgiu no fim-de-ano em 2009, confirmando o ex. namorado ligeiramente assustador de Cat Power e Joanna Newsom como um compositor norte-americano ainda impressionando ao longo dos 20 anos da sua carreira.

O seu primeiro álbum ao vivo, não inclui destaques recentes, como "Eid Ma Clack Shaw", mas converte recentes a partir de um catálogo intenso. Gravado num local íntimo, em 2007, canções antigas como "Held" e "Bathysphere", e um número de clássicos Smog, incluindo A River Ain't Too Much to Love, bem como um clássico de Woke On A Whaleheart, e uma música não lançada em nenhum álbum de Bill, Smog até à data (só lançado em CD single!). 11 faixas, Drag City, 2010.

THE SMITHS - TRIBUTO

Em 13 de Dezembro, os fãs da lendas Inglêsas podem mergulhar em, Please, Please, Please: A Tribute to The Smiths, uma compilação de 20 covers de alguns dos melhores indie`s da música.

Please, Please, Please: A Tribute to the Smiths Tracklist:
01. Kitten – “Panic”
02. The Rest – “Stop Me If You Think You’ve Heard This One Before”
03. Joy Zipper – “What Difference Does It Make?”
04. Tanya Donelly w/ Dylan in the Movies – “Shoplifters Of The World Unite”
05. William Fitzsimmons – “Please Please Please Let Me Get What I Want”
06. Sixpence None the Richer – “I Won’t Share You”
07. Sara Lov – “Well I Wonder”
08. Greg Laswell – “Half A Person”
09. Dala – “Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me”
10. Chikita Violenta – “Some Girls Are Bigger Than Others”
11. Telekinesis – “Sheila Take A Bow”
12. Solvents – “Is It Really So Strange?”
13. The Wedding Present – “Hand In Glove”
14. Mike Viola and The Section Quartet – “How Soon Is Now?”
15. Trespassers William – “There Is A Light That Never Goes Out”
16. Girl in a Coma – “Rubber Ring”
17. Elk City – “I Know It’s Over”
18. Katy Goodman (La Sera, Vivian Girls) – “What She Said”
19. Cinerama – “London”
20. Doug Martsch (Built To Spill) – “Reel Around the Fountain”

Bonus Seven-Inch

1. Stars – “Asleep”
2. C’est la Mort – “Girl Afraid”
3. The Caulfield Sisters – “Please Please Please Let Me Get What I Want”

GULBENKIAN - NATUREZA MORTA 2011

Uma oportunidade única para ver obras-chave da história da arte de autores como Picasso, Van Gogh, Manet, Duchamp ou Matisse - 93 obras, de 70 artistas, vindas de museus e instituições de todo o mundo.

Depois da exposição de 2010, a natureza-morta volta à Fundação Gulbenkian, sendo que o período abordado desta vez vai da modernidade do século XIX ao início do século XX.

TACITA DEAN

Tacita Dean de 45 anos que trocou o Reino Unido por Berlim tem se dedicado a fazer retratos em 16mm de grandes artistas em fim de vida: o coreógrafo Merce Cunningham ("Craneway Event 2009"), e os artistas plásticos Mario Merz ("Mario Merz", 2002) e Cy Twombly ("Edwin Parker", 2011).

É precisamente o filme em 16mm que está na origem do seu novo trabalho, resposta à encomenda feita pela Tate Modern, em Londres. "Film", que acaba de inaugurar e pode ser vista até 11 de Março, é a 12.ª obra que a Tate, instalada numa antiga central eléctrica, programa no seu imenso Turbine Hall ("Unilever Series"), uma sala cuja dimensão faz lembrar um hangar.

Este espaço, que já recebeu aracnídeos gigantes (Louise Bourgeois) e 100 milhões de sementes de girassol em porcelana pintada à mão (Ai Weiwei), mostra agora uma tela vertical que reproduz em grande escala (13 metros de altura) uma película. É nela que durante 11 minutos é projectado o filme de Dean, inspirado nos clássicos de Hollywood, mas também no pintor Piet Mondrian e em Olafur Eliasson, o dinamarquês que já fez nascer o sol no Turbine Hall com a ajuda de 300 espelhos ("The Weather Project", 2003).

O catálogo de "Film" tem textos de dezenas de artistas e dos realizadores Godard, Scorsese e Spielberg.

VAN GOGH

Steven Naifeh e Gregory White Smith, vencedores de um Pulitzer pela biografia de Jackson Pollock, defendem a tese, que o pintor holandês Vincent van Gogh (1853-1890) morreu alegadamente atingido a tiro por dois jovens, contraria a teoria de que se terá suicidado aos 37 anos.

Van Gogh, que teria muitos problemas na altura, suicidou-se com um tiro no peito mas a arma nunca foi encontrada. Foi sobre esta parte da história que os dois escritores centraram a investigação e chegaram às conclusões agora apresentadas no livro “Van Gogh: The Life”.

Os autores da nova biografia defendem que o mais provável é que o pintor tenha morrido depois de ser atingido por disparos acidentais feitos por dois jovens, num campo de trigo, para onde se dirigia para pintar.

Segundo Steven Naifeh, Van Gogh não foi para ao campo com a intenção de suicidar-se, como se acreditava até aqui. "Em Auvers, entre as pessoas que o conheciam, a convicção é que de que ele foi morto acidentalmente por dois rapazes que brincavam aos cowboys, e que para protegê-los, assumiu a culpa", afirma.

“Estes dois rapazes, um deles estava até vestido de cowboy e tinha uma arma defeituosa, eram conhecidos por irem [para os campos] beber àquela hora do dia com Vincent [Van Gogh].

A teoria é corroborada por alguns dados, como o ângulo oblíquo em que a bala penetrou no abdómen de Van Gogh, quando o mais vulgar nos suicídios é o ângulo recto.

Nesta nova biografia, os autores escrevem ainda que a família de Van Gogh terá tentado internar o pintor, que sofria de epilepsia, num asilo. Steven Naifeh e Gregory White Smith defendem Van Gogh viva sob grande aflição e que terá sido a mistura de sentimentos, entre a mania e a depressão, que terão provocado a sua epilepsia. Num capítulo do livro, pode-se ler ainda que a relação do pintor com o seu pai era tão tumultuosa e violenta que alguns membros da família acusaram Van Gogh de matar o próprio pai.

O Museu Van Gogh, em Amesterdão, disse ao “El País” que é preciso encarar estes novos factos com calma, defendendo que a “teoria de homicídio acidental não está bem sustentada”.

MARCONI UNION - A CANÇÃO MAIS RELAXANTE

O estudo encomendado pela empresa de produtos de higiene, espuma e gel de banho Radox Spa - encontrou a música ainda mais relaxante do que uma massagem, ou ao pé de uma xícara de chá.

Obra do trio de Manchester, Marconi Unior, "Weightless" foi composta com a ajuda de terapeutas especialistas em som para criar uma melodia suave, e também diminui a respiração e reduz a actividade cerebral.

Na prática, foi testada em 40 mulheres e foi assim considerada mais eficax a produzir relaxamento do que outras músicas usadas para o efeito, como de Enya e Mozart.

Dizem que "WEIGHTLESS" a faixa de oito minutos é tão eficaz na indução do sono não deve ser ouvida enquanto estiver conduzindo.

Cuidadosas harmonias, ritmos e linhas de baixo ajudam a abrandar o ritmo cardíaco, reduzir a pressão arterial e os níveis mais baixos do cortisol, a hormona do stress.

A canção apresenta guitarra, piano e samplers electrónicos de sons naturais, perfurada por cantos budistas que induzem a um estado de transe.

LYZ Cooper, fundador da Academia Britânica de Terapia de Som, disse que Marconi Union usaram a teoria científica para fazer a " a perfeita canção relaxante", "a música faz uso de muitos princípios musicais que mostrados individualmente tem um efeito calmante.

"O estudo descobriu que isso talvez seja a música mais relaxante do mundo.Contém um ritmo sustentável que começa em 60 batimentos por minuto e gradualmente diminui para cerca de 50. Ao ouvir, o seu ritmo cardíaco gradualmente vem a coincidir com aquela batida."

"É importante que a música de oito minutos de duração, leva cerca de cinco minutos a este processo ocorrer, conhecido como arrastamento.

"A queda da frequência cardíaca também leva a uma queda da pressão arterial.

"Os intervalos harmónicos - ou lacunas entre as notas - foram escolhidas para criar uma sensação de euforia e conforto".

"E não há melodia repetitiva, o que permite o seu cérebro desligar completamente, porque não está mais tentando prever o que vem a seguir".

TERESA MARGOLLES - Frontera o combate às drogas no México

A Cobertura dos média tem continuamente rodeado a guerra em curso no Médio Oriente, mas enquanto isso, o combate às drogas no México continua a acumular um número de mortos, actualmente quase 30.000. "Frontera" é uma reflexão sobre a dimensão dramática do tráfico de drogas na sociedade mexicana.

Teresa Margolles emprega um método simples mas eficaz de transmitir disparidade emocional, morte e tragédia usando as paredes do México, onde reais execuções relacionados com a droga aconteceram.

Margolles arranca as paredes do México e reconstrui-as em Bolzano. A mostra no Museion, Bolzano, Italia, também exibe Plancha and Cubo (2010), um cubo minimalista pesando uma tonelada feita de ferro e cimento armado retirado de edifícios demolidos.

Ao tomar estas representações concretas de corrupção e de morte, colocando-as num museu, o espectador é forçado a enfrentar a realidade de uma guerra com um enorme e inocente número de vidas perdidas.

21/10/2011

COLDPLAY E O CHEIRO DA MERDA

FRASE DO DIA

Em entrevista ao NME, Chris Martin reconheceu que as letras escritas por si «são um bocadinho merdosas».

UM BOCADINHO????? HA! HA! HA!....

Afinal (eu) e todos os que estiveram em Paredes de Coura, quando os Coldplay, tocaram em Portugal pela primeira vez, TIVEMOS RAZÃO.

UMA MONUMENTAL ASSOBIADELA (o merdoso ameaçou que terminava com o concerto se continuássemos ) para um MERDOSO CONCERTO.

Os Coldplay anunciou que lançará uma música por dia até o novo álbum, Mylo Xyloto, chegar às lojas na próxima segunda-feira (24). As faixas para streaming começaram a ser lançadas nesta quarta-feira (19), no iTunes.
A primeira música escolhida é Princess of China, que conta com a participação de Rihanna.

MIKE SKINNER - THE STREETS - THE D. O. T.

O cérebro dos Streets, Mike Skinner aka The Streets, formou uma nova banda com Rob Harvey dos The Music.

Os The D.O.T. já têm disponíveis 14 canções online. Na maioria delas, Skinner produz e Harvey canta.

Uma notícia que coincide com a marcação dos derradeiros concertos dos The Streets para o fim deste mês e Novembro. Skinner havia avançado o final do seu projecto ainda antes da edição do mais recente «Computers and Blues», já este ano.

Com os The Streets Skinner lançou dois imprescindíveis e excelentes albuns : Original Pirate Material em 2002, e A Grand Don't Come for Free, 2004.

As gravações de Mike Skinner como The Streets marcaram a primeira tentativa de aumentar um degrau nos comentários sociais do movimento Britânico, garage/2-step(mais tarde grime).

Skinner, um nativo de Birmingham que se aventurou para a capital, era um estranho na cena garage, e as suas gravações iniciais apareceram na Locked On, a fonte de estréia do speed garage, mais tarde 2-step em 1998, até ao final do milénio.

Skinner fez as suas primeiras faixas aos 15 anos, e durante o final dos anos 90, tentou iniciar uma etiqueta com as suas próprias músicas enquanto trabalhava sem saída em empregos de fast food.

TINTIN - O FILME, 2011

"As aventuras de Tintin: O segredo do Licorne", o filme com o qual Steven Spielberg cumpre um sonho antigo, e que coloca o repórter quase no papel de um Indiana Jones, terá uma antestreia no sábado em Bruxelas.

O filme só terá estreia comercial na próxima semana, em vários países da Europa, incluindo Portugal, onde será exibido a partir do dia 27 em mais de uma centena de salas de cinema.

Aos Estados Unidos e Canadá só chegará no final do ano, por altura do Natal.

"As aventuras de Tintin: O segredo do Licorne" já teve várias exibições especiais, mas no sábado será mostrado em Bruxelas, cidade fortemente marcada pela banda desenhada, sendo esperadas as presenças dos protagonistas do filme, assim como do realizador, Steven Spielberg.

Considerada uma das grandes estreias da temporada cinematográfica internacional - mais não seja por juntar Spielberg, Peter Jackson (o produtor) e Tintin -, o filme adapta para cinema três álbuns de BD de Hergé: "O segredo do Licorne", "O caranguejo das tenazes de ouro" e "O tesouro de Rackham, o terrível", publicados originalmente entre 1945 e 1946.

A expectativa é por causa da adaptação visual de todo o imaginário criado por Hergé.

O filme foi rodado com actores de carne e osso, como Jamie Bell, que interpreta Tintin, Andy Serkis, o Capitão Hadock, e Daniel Craig, o pirata Red Rackam, mas o que surge no ecrã é um filme de animação.

LONDON FILM FESTIVAL 2011

Fundado em 1957 para exibir o melhor do cinema mundial ao público britânico, o festival tem procurado nos últimos anos conquistar um lugar no calendário internacional de mostras cinematográficas, com filmes de maior cartaz e um desfile de estrelas que fazem as capas das revistas.

O London Film Festival, festival de cinema internacional inaugurou no dia 12, com "360", um drama do brasileiro Fernando Meirelles, que decorre à volta do globo, percorrendo Londres e Viena, Rio de Janeiro ou Denver, no Colorado.

O filme do realizador de "A Cidade de Deus" tem como principais actores Anthony Hopkins, Jude Law e Rachel Weisz, numa cadeia de histórias de amor que se interligam, baseada na peça centenária de Arthur Schnitzler "La Ronde".

Durante as duas semanas do festival serão apresentadas mais de 300 longas e curtas metragens de 55 países. E promete algo, tanto para os cinéfilos como para os seguidores das celebridades - incluindo duas comparências de George Clooney, que dirigiu e foi principal actor de "Os Idos de Março" ("The Ides of March") e tem um importante papel em "The Descendants" ("Os Descendentes"), de Alexander Payne.

Entre as estrelas que deverão pisar a passadeira vermelha contam-se Seth Rogen e Michael Fassbender (ambos com papéis de viciados sexuais em "Shame"/"Vergonha", de Steve McQueen) e Carl Jung, actor principal no drama psicoanalítico de David Cronenberg "A Dangerous Method" ("Um Método Perigoso").

Entre os filmes com raízes literárias contam-se "Coriolanus", a estreia na realização de Ralph Fiennes, "O Monte dos Vendavais", de Andrew Arnold, e "Trishna", de Michael Winterbottom, baseado em "Tess dos D'Ubervilles", de Thomas Hardy, que tem Freida Pinto no principal papel.

Apesar de a maioria dos filmes já ter estreado em Sundance, Cannes, Toronto ou Veneza, há 13 estreias mundiais na programação, sobretudo britânicas.

Entre os destaques, contam-se "The Kid with a Bike" ("O Miúdo com uma Bicicleta"), dos irmãos belgas Dardenne, a sátira ao Vaticano de Nanni Moretti "We Have a Pope" ("Temos Papa"), o êxito de Sundance "Martha Marcy May Marlene", com Elizabeth Olsen no papel de uma traumatizada e arrependida de um culto, e a homenagem ao cinema mudo do realizador francês Michael Hazanavicius "The Artist" ("O Artista").

A controvérsia poderá surgir, por exemplo, com "W.E.", o filme de Madonna sobre o romance entre o rei Eduardo VIII e a divorciada norte-americana Wallis Simpson, arrasado pela crítica na estreia em Veneza, ou com "Anonymous", de Roland Emmerich, em que o ator principal, Rhys Ifans, interpreta o papel do alegado verdadeiro autor das peças do bardo.

A 26 de Outubro, o festival anunciará o prémio para o melhor filme de uma lista que inclui "The Artist", "The Descendants", "Faust", de Aleksandr Sokurov, vencedor do Festival de Veneza, e "We Need to Talk about Kevin" ("Temos que falar de Kevin"), de Lynne Ramsay, sobre o massacre num liceu.

O festival encerra a 27 de Outubro com "Deep Blue Sea" ("O Mar Profundo e Azul"), que tem nos principais papéis Rachel Weisz, Tom Hiddleston e Simon Russel Beale, na adaptação de Terence Davies da peça de Terrence Rattigan sobre um triângulo amoroso no pós-guerra.

NOEL GALLAGHER + DAMON ALBARN+ LIAM + OASIS

Noel Gallagher, guitarrista e vocalista dos Oasis, revelou à revista Shortlist que acabou a beber uma cerveja com Albarn depois de os dois se terem cruzado e saudado efusivamente.

Após quinze anos sem se cruzarem, Noel Gallagher e Damon Albarn fazem as pazes.

Gallagher terá perguntado mas afinal “que merda foi esta dos últimos 15 anos? Que parvoíce”. “Foram bons tempos”, respondeu Albarn. “Valeram uma boa risada”, finalizou Gallagher.

Na mesma entrevista, o guitarrista dos Oasis admitiu que se tivesse sido convidado para fazer parte dos Kasabian, teria aceite.

O novo álbum “Noel Gallagher’s high Flying Birds” saiu esta semana.

Liam Gallagher, agora nos Beady Eye, aponta o vigésimo aniversário de «What´s The Story (Morning Glory)» como o timing ideal para uma regresso. «Se conseguirmos deixar os problemas de lado, podemos embarcar numa digressão e tocar o álbum», declarou à Rolling Stone.

Uma hipótese já antes colocada pelo irmão Noel, que havia revelado o sonho de recuperar o álbum em 2015 e tocá-lo ao vivo na íntegra. Apesar da aproximação, Liam não deixou de enviar uma «boca» ao «mano» que editou esta semana o primeiro disco a solo.

«Ele tem que estar a solo primeiro para perceber que não consegue ser bom sem o irmão».

OSSO VAIDOSO

Depois de ter levado ao Porto o evento D’ Bandada – a Optimus Discos, que se materializou numa jornada musical única, com a actuação de 20 bandas residentes, em 13 locais absolutamente mágicos, num total de 30 concertos completamente gratuitos, o projecto Optimus Discos apresenta novidades que espelham a sua continuidade, crescimento e sucesso.

A Optimus Discos a partir de hoje tem novo site totalmente remodelado - agora integrado no site do Blitz, e também conta a partir de hoje com três novos álbuns, que se juntam assim ao vasto leque de artistas desta editora.

Osso Vaidoso, Ana Deus (ex.Ban) e Alexandre Soares (ex.GNR) que cruzaram as suas experiências musicais nos Três Tristes Tigres. Para trás, nos anos 80, estavam nos Ban e GNR, respectivamente. Longe de serem novatos, procuram, no entanto, sempre uma perspectiva nova que oriente as suas criações e é neste Osso vaidoso que de novo se encontram. Passados quinze anos,a ideologia continua a ser libertária. No entanto, a «gordura» electrónica que era cara dos Três Tristes Tigres é substituída por uma maior dependência das seis cordas do guitarrista,

Canções simples onde o texto marca a pulsação e as guitarras fogem ao lugar comum.

Pessoalmente acho o nome do grupo,mau de mais para ser verdade, pouco original, é ambíguo,não me sugere nada nem um nome para uma banda, uma ideia muito mal definida...
mas como como hoje é só iluminados..... será mais um problema meu... tou careta.

MADREDEUS

Os Madredeus estão de volta.

O músico e compositor, fundador da banda, conta nesta nova formação com Carlos Maria Trindade (teclados), Jorge Varrecoso (guitarra), António Figueiredo (violino) Luís Clode (violoncelo) e a cantora Beatriz Nunes.

António Figueiredo e Luís Clode integraram a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Lusitânia Ensemble, enquanto Beatriz Nunes tem formação clássica e estudou música nas áreas clássica e do jazz, afirmou fonte da Uguru, que passa a agenciar a banda portuguesa.

“Os novos Madredeus retomarão as primeira canções da banda com novos arranjos, além de composições inéditas”, referiu a mesma fonte, referindo que “estão prontas cerca de 30 canções novas, compostas por Ayres Magalhães”.

Madredeus & A Banda Cósmica surgiram após a reformulação dos Madredeus em 2007 com a saída de Teresa Salgueiro, José Peixoto e Fernando Júdice, que renderam a formação inicial que integrava Gabriel Nunes, Francisco Ribeiro, Rodrigo Leão, além de Pedro Ayres Magalhães e Teresa Salgueiro.

Em Outubro do ano passado, Pedro Ayres Magalhães em entrevista à Lusa afirmou que com a edição do álbum “Castelos na Areia” os Madredeus fechavam o capítulo de A Banda Cósmica, mas ressalvava que o projecto poderia “renascer qual Fénix”.

“Os Madredeus somos eu e o Carlos Maria [Trindade]. A Banda Cósmica era um grupo de intérpretes que escolhemos a partir de audições e que, com facilidade, até por um coincidência cósmica - daí o nome - compreenderam o repertório dos Madredeus”, explicou na altura.

16/10/2011

ANN LIV YOUNG

No palco, Ann Liv Young tem rolado em torno das cinzas do seu cão, fez sexo com co-estrelas, cobriu-se com sangue, bebeu urina, defecou em palco, atacou um activista da PETA, etc.. Fora do palco, ela deu lap dances e ridicularizou o seu próprio elenco durante uma performance.

Graduada do prestigiado programa de dança da Universidade Hollins, bem como ex-residente do programa FUSED em França, e no Laban Centre in London, o trabalho de Ann Liv tem sido apresentado em alguns dos locais mais notáveis ​​e em muitos festivais ao redor da América e Europa.

Escreve, produz e realiza os seus proprios shows,faz os figurinos, desenhos de palco, elementos de música, vídeo pornô, e fine art.

Ann Liv performed “Sherry” in “Girl Monster Orchestra” presented by Chicks on Speed in Switzerland and Sweden in March 2010.

Seis meses após a performance de Ann Liv Young no MoMA PS1, na terça-feira foi concedido o seu pedido para retornar, e o museu confirmou.

Há algumas semanas, Young anunciou o seu retorno, mas o museu disse na época que tal evento não havia sido aprovado. A decisão seguida de duas reuniões com vários membros da equipa da instituição, incluindo uma com o seu director, Klaus Biesenbach. A(desculpa) palestra de duas horas foi no estúdio temporário do artista AL Steiner que ocupa a cave do museu como parte da exposição "Greater New York".

Young coloca em cena publica a performance-lecture discutindo a sua presença em
Fevereiro ultimo. Esse evento envolveu um confronto entre ela e a colega artista, Georgia Sagri, e foi reduzida de forma abrupta quando o Sr. Biesenbach ordenou que a energia eléctrica fosse desligada.

RICHARD SERRA + BRANCUSI

Brancusi em 1920 desenvolveu uma reputação notória com a entrada de "Princess X" no Salon. De forma fálica a peça escandalizou o Salon, e apesar de explicação de Brancusi de que era um retrato anónimo, removeu-o da exposição. "Princess X" foi revelado para ser a princesa Marie Bonaparte, descendente directa de Napoleão Bonaparte. Brancusi representou ou caricaturou a sua vida como um falo grande de bronze brilhando. Este falo simboliza a obsessão da princesa Bonaparte com o pénis e a sua busca ao longo da vida para atingir o orgasmo vaginal (como prescrito por Freud como a única forma legítima para que as mulheres se esforçam para) ...

Dois dos mais importantes escultores do século XX, Constantin Brancusi e Richard Serra um duelo de titãs numa exposição da Fundação Beyeler, em Basileia, foi visto neste verão, a exposição no Museu Guggenheim em Bilbao, até 15 Abril do próximo ano, inclui cinqüenta peças representando a conquista de luz de Brancusi, frente ao domínio do espaço de Serra.

Entre 1964 e 1965, Serra passou vários meses em Paris a desenhar no estúdio de Brancusi, o trabalho que tinha doado ao Estado francês, e que foi reconstruído no Museu de Arte Moderna.

Trazendo um dos maiores escultores vivos que certamente é, junto com Picasso, o mais marcante do século XX, Richard Serra (1939), o escultor do peso e das dimenções incomensuráveis, e Constantin Brancusi (1876-1957), o grande transformador da representação figurativa e criador das formas cativantes.

AGOTA KRISTOF

Morreu a escritora húngara que conhecia a dimensão do mal. Eu conheci esta excelente escritora, quando li o seu livro, "Ontem".

Escritora de origem húngara, nasceu em 30 Outubro, 1935 em Csikvand, na Hungria, e aos nove anos de idade escreveu os seus primeiros poemas num internato próximo à fronteira com a Áustria. Fugiu da repressão soviética posterior à revolução húngara de 1956 e instalou-se com o marido na Suíça, onde vive, desde 1956, em Neuchatel.

Escreve habitualmente em francês, a sua língua de adopção. Publicou teatro, peças radiofónicas e a célebre e premiada, "trilogia dos irmãos gémeos", já publicada entre nós: "Le grand cahier" (1987), "La preuve" (1990), "Le troisième mensonge" (1991). «Ontem» (1995) é o último romance da autora, que prima pela sua escassa e espaçada produção literária.

A escritora húngara Ágota Kristóf, autora de "Um Caderno e Tanto", morreu em Julho, 2011, aos 75 anos na sua residência na Suíça, onde vivia desde 1956.

A imprensa húngara lembra que a obra de Kristóf é considerada pelos críticos franceses como uma das mais importantes da literatura de final do século 20, junto a Samuel Beckett e Eugène Ionesco.

Foi agraciada com o italiano Prêmio Alberto Morávia (1988) e o alemão Gottfried Keller (2001). Em 2009, concorreu ao Prémio Príncipe de Astúrias das Letras, entregue ao albanês Ismail Kadaré, e no ano passado, a Hungria homenageou-a com o "Prêmio Kossuth", a mais alta distinção artística do país.

A autora, que conquistou o sucesso internacional com a trilogia formada por "O Grande Caderno", "A Prova" e "A Terceira Mentira", comunicou em Março que já não escrevia por estar muito doente. "Não tenho vontade nem força. Não faz sentido", assinalou ao portal literário húngaro "beliche.hu".

As suas obras estão traduzidas em mais de trinta línguas (inglês, alemão, castelhano, catalão, chinês , japonês, neerlandês, húngaro, dinamarquês, russo, georgiano, estoniano, grego, hebraico, etc) e, em França, a sua editora vendeu mais de 70.000 cópias dos seus livros.

GONÇALO M. TAVARES

Nascido em Angola em 1970, Gonçalo M. Tavares tornou-se rapidamente um nome importante da literatura de língua portuguesa. Ganhando inúmeros prémios,seja de poesia ou prosa, criou um dos projectos mais interessantes dos últimos anos. O Bairro. Um universo habitado por figuras como O Senhor Valéry, O Senhor Juarroz, O Senhor Walser, O Senhor Henri, O Senhor Calvino e O Senhor Brecht. Cada um dos livros que compõem a coleção narra a vida destes personagens num fictício conjunto de apartamentos. Além das obras de O Bairro, escreveu Jerusalém, Histórias Falsas e Aprender a Rezar na Era da Técnica.

DIANE DUCRET - AS MULHERES DOS DITADORES

Chama-se "As Mulheres dos Ditadores" e foi escrito por Diane Ducret. O Jornal "El Mundo" publica alguns trechos sobre a vida sentimental de Salazar, Hitler, Mao Tsé-Tung, entre outros.

"O ditador português trocou o seminário por uma carreira de Direito. Uma mulher, Felismina, fez com que mudasse de opinião. Ambos tiveram um romance um pouco bucólico e infantil até cerca dos 30 anos. Ele cansou-se. 'Ela converteu-o no objecto do seu único amor'", pode ler-se no trecho do livro citado pelo jornal espanhol "El Mundo".

"Salazar renunciou ao casamento porque 'não estava disposto a fazer concessões por nenhuma mulher', apesar de alguns romances ocasionais. María Laura, Emilia, a jornalista Christine Garnier... foram muitas as suas numerosas conquistas, mas ele 'não conservava uma amante se isso não lhe trouxesse benefícios políticos'", pode ler-se no texto do jornal espanhol.

O livro conta também a história amorosa de outros conhecidos ditadores. No caso de Mussolini, a autora diz que se tratava de "um conquistador que perdeu a virgindade com uma prostituta" e que "manteve várias relações extraconjugais".

Sobre Hitler, a escritora Diane Ducret relata o episódio do relacionamento "algo incestuoso com uma sobrinha" que levou ao suicídio desta. E também da relação com Eva Braun, com quem se casou.

Mao Tsé-Tung também tem uma parte do livro que lhe é dedicada. O dirigente chinês jurou que nunca se iria casar, mas acabou por fazê-lo duas vezes. De acordo com a autora, Mao sofria de problemas de impotência.

STONE ROSES - O REGRESSO, 2011

Em 2009 não houve fumo branco, tanto o vocalista Ian Brown como o guitarrista John Squire negaram a notícia avançada pelo jornal britânico Mirror que dava como certo um regresso aos palcos dos Stone Roses.

Passado dois anos 2011, os Stone Roses vão anunciar o seu regresso após um longo hiato na próxima terça-feira, numa conferência de imprensa em que serão apresentadas as datas e locais de vários concertos, noticia esta sexta-feira o tablóide britânico The Sun.

Segundo o jornal, o vocalista Ian Brown e o guitarrista John Squire chegaram a um entendimento após terem estado desavindos por mais de uma década e meia.

A banda conta ainda com o baixista Mani e com o baterista Reni.

Ian e John têm trocado palavras amargas através da imprensa desde que o guitarrista abandonou o grupo em 1996. Contudo, as relações entre os dois melhoraram após se terem encontrado no funeral da mãe de Mani, em Março último.

AI WEIWEI

O artista chinês Ai Weiwei lidera a lista deste ano das 100 pessoas mais poderosas do mundo na arte contemporânea, segundo a edição online da ArtReview, publicação internacional do setor que há uma década estabelece este 'ranking'.

Ai Weiwei, que tem sido muito falado devido à contestação ao regime político chinês, é o segundo artista a ocupar o topo da lista nos últimos dez anos, seguindo os passos do britânico Damien Hirst, que liderou o ranking em 2005 e 2008.

Foi escolhido entre artistas, críticos, galeristas e curadores pelo seu ativismo e as suas práticas artísticas, que, na essência, se têm afastado da ideia de que um criador apenas se limita a trabalhar no espaço privilegiado das galerias ou dos museus.

Ai Weiwei é reverenciado internacionalmente como um ícone contemporâneo e comentarista cultural. Ele é artista, empresário arte, fotógrafo, curador e arquitecto, cujo trabalho recente foi projecto "ninho dos pássaros" o concept design do Beijing Olympic Stadium, em que colaborou com os arquitectos Herzog & de Meuron.

Ai Weiwei, desenvolveu uma prática distinta de arte que questiona e provoca o Estado chinês, enquanto forja uma posição que lhe permite influenciar a ampla identidade cultural e política.

Como um acérrimo defensor dos direitos humanos e com uma forte crença na necessidade de documentar e manter a memória histórica, Ai Weiwei continua sem medo de criticar o governo chinês, onde ele percebe falhas ou falta de vontade para agir. Bem como a Documenta XII, o trabalho de Ai Weiwei foi demonstrado extensivamente em uma variedade de eventos de prestígio internacional, incluindo a Bienal de Veneza (1999), a Trienal de Guangzhou (2002) e da Bienal de Sydney (2006), com as principais comissões recente para Tate Liverpool, no Reino Unido (2007, 2008).

O REMAKE DO CORVO

A primeira adaptação para o cinema ocorreu em 1994, com direcção de Alex Proyas e Brandon Lee no papel principal. O filme ficou famoso por registar a morte do astro, filho de Bruce Lee, durante as filmagens. Daí em diante, foram produzidas três fracassadas continuações e uma série de TV inspirada na banda desenhada.

O remake de “O Corvo” (1994) continua a sofrer contratempos atrás de contratempos. Depois de Bradley Cooper (“A Ressaca”) ter desistido de protagonizar o reboot desenvolvido pela Relativity Media, é a vez do diretor Juan Carlos Fresnadillo (“Extermínio 2″) abandonar o projecto. Os motivos do abandono foram os sucessivos adiamentos das filmagens, que agora entraram em conflito com a agenda do diretor – Fresnadillo que irá dirigir o remake de “Highlander” (1986).

O cineasta espanhol já era o segundo realizador contratado para o remake. O filme seria dirigido por Stephen Norrington (“A Liga Extraordinária”), que acabou desistindo do projecto junto com o actor Mark Wahlberg (“O Vencedor”), a primeira opção para o papel principal.

Para o lugar de Wahlberg, foi contratado Bradley Cooper, que também acabou defenestrando o roteiro de Alex Tse (“Watchmen”) na primeira oportunidade.

FERNANDO MEIRELLES + ARISTÓTELES ONASSIS

Da favela para a alta finança, Fernando Meirelles, realizador de ‘Cidade de Deus’, vai transpor para o cinema a vida do magnata, e armador grego falecido em 1975. Aristóteles Onassis falava quatro idiomas: espanhol, turco, Inglês e Grego, e chegou a ser o homem mais rico do Mundo, um dos mais famosos, dono de uma ilha e de uma fortuna incalculável.

O pai de Aristóteles tinha uma frota de 10 navios com 40 marinheiros, encantou Maria Callas e casou-se com Jackie Kennedy, depois de esta ficar viúva de John Fitzgerald Kennedy, o presidente dos EUA assassinado a tiro a 22 Novembro de 1963, de ascendência irlandesa, nascido em Brookline, Massachusetts, em 29 de Maio de 1917. O homem mais jovem eleito presidente, foi o mais jovem a morrer.

Tal como o livro que adapta, o filme promete ser incendiário, já que se centra na rivalidade entre o milionário e Robert F. Kennedy, promotor-geral dos EUA quando o irmão John ocupava a Casa Branca.

Segundo ‘Nemesis: The True Story of Aristotle Onassis, Jackie O, and the Love Triangle that Brought Down the Kennedys’, escrito por Peter Evans, as desavenças entre Onassis e Bobby – que travou os negócios do grego nos EUA – levaram o magnata a financiar o seu assassinato, em 1968, cinco anos depois de o irmão perder a vida.

De acordo com Peter Evans, Jacqueline recebeu EUA $ 3 milhões para ela e US $ 1 milhão para cada filho como oferta por ter aceitado o casamento. Após a morte de Onassis, ela receberia EUA $ 150.000 ($ 3,25 m usando o mesmo cálculo-taxa de retorno de 8% ao ano) por cada ano até ao final da sua vida.

O realizador de ‘O Fiel Jardineiro’ e ‘Ensaio sobre a Cegueira’ já tem nomes pensados para o elenco, mas não os desvenda.

VITALIY VERSACE GERA POLÉMICA COM TRAILLER

Os 70 segundos do trailer do filme 'Utoya Island', que reconstitui o massacre na ilha de Utoya, na Noruega, gera polémica. O realizador diz que não há alturas certas para filmar um acontecimento trágico como este.

O filme do realizador Vitaliy Versace, só está previsto para 2012, mas a polémica instalou-se junto das famílias das 69 vítimas e da classe política norueguesa. Um pequeno trailer do filme, a circular no YouTube desde o fim de Setembro, mostra um grupo de adolescentes a serem transportados de barco para a pequena ilha em frente a Oslo.


O realizador dinamarquês Lars Von Trier, autor do filme ‘Dogville’, admitiu que a sua película pode ter servido de inspiração a Anders Breivik para perpetuar o duplo atentado na Noruega. O realizador, de 55 anos, disse ao jornal dinamarquês ‘Politiken’ existem "bastantes semelhanças" entre o final do seu filme e o massacre de Breivik, na ilha norueguesa de Utoya.

Na ficção, a personagem principal de ‘Dogville’, interpretado pela actriz Nicole Kidman, é torturada e violada por habitantes da aldeia, mas, no final, vinga-se e manda assassinar toda a comunidade.

Television Personalities Dan Treacy em Coma

Dan Treacy está declaradamente em estado crítico após uma operação para remover um coágulo de sangue no seu cérebro. O lider e vocalista dos pós-punk ingleses Television Personalities, tem estado em coma induzido durante as últimas 48 horas. Não está claro como Treacy sofreu a lesão, mas a polícia está investigando.

A Sua banda TexasBob Juarez, Mike Stone e Arnau Obiols emitiu o seguinte comunicado:

"A banda está muito preocupada com o nosso querido amigo e irmão Daniel e estamos todos rezando por uma recuperação".

Treacy foi o único membro consistente há mais de trinta anos dos Television Personalities, Treacy lidera o grupo desde 1978, através de uma série de formações diferentes. "Um dos últimos reais bluesman na Inglaterra", de acordo com Alan McGee, Treacy lançou o seu último álbum em 2010. Com o seu grupo tocou em Londres em Setembro, e foram programados uma performance, no John Peel Day, dia 28 de Outubro.

Treacy também pode ser ouvido no novo single Heaven Knows I Miss Him Now, dos Acid House Kings, que sai a 18 de Outubro, com Texas Bob dos Television Personalities na guitarra.

Ele também foi homenageado pelos MGMT, na canção "Song for Dan Treacy", presente no álbum "Congratulations".

THE DAMNED

Sobreviventes do punk The Damned anunciaram uma turné australiana no início do ano. A banda tem quatro datas marcadas para meados de Janeiro - e se está perguntando quem são os The Damned, a resposta é - os fundadores da banda em 1976, uma das mais anárquicas da época, o guitarrista/vocalista Captain Sensible, o maniaco baterista Rat Scabies, e Dave Vannian ( New York Dolls, tinha uma obsessão por Alice Cooper, trabalhava como coveiro, lider do projecto paralelo THE PHANTOM CHORDS, e casado com a ex-baixista dos Sisters of Mercy, PATRÍCIA MORRISON, com a qual vive em Londres e tem uma filha, Emily Vanian, nascida em 2004).

Disputas sobre contratações para a banda e demissões, e depois de alguns shows em 1992, the Damned desaparecem novamente por um tempo. Reúnem-se em 1993, com banda quase totalmente nova, só Scabies e Vanian permanecem do lineup final dos anos 80.

Este quinteto tocou no Japão e na Europa durante cerca de dois anos, também gravando demos aqui e ali, Vanian alegou e acreditava que para um futuro álbum projecta os anteriores membros Sensible e James. Tendo restabelecido contacto com Sensible durante a turné para trabalhar na sua banda Phantom Chords, respondeu Scabies rompendo com o grupo, recrutando um novo grupo para assumir a identidade dos Damned.

Inicialmente, este consistia de Gray, mais uma vez, além do baterista Garrie Dreadful, e do teclista Monty. No entanto, Gray foi substituído em 1996, após uma explosão de raiva no palco, por Patricia Morrison, conhecida pelo seu trabalho nos Clube Gun e Sisters of Mercy, entre outras bandas. Scabies reagiu a tudo isto com ameaças de acções judiciais e injuriosos comentários públicos.

Em 2001, Vanian / Sensible lideram os Damned, lançando o álbum Grave Disorder na Nitro, e produzido por David Bianco.
Captain Sensible, guitar, Patricia Morrison,
bass, backing vocals, Monty Oxy-Moron, keyboards, Pinch, drums, e Dave Vanian, vocals, Theremin.


Conhecendo a história da instabilidade da banda- capturada na série interminável de lançamentos, autorizados ou não, de todos os períodos da sua carreira, ao vivo, de estúdio, compilações, e muito mais - só uma pessoa tola diria que as coisas iriam ficar numa mesmo quilha para o futuro. Scabies perde, o que parece ter sido um golpe assassino há primeira vista, mas o grupo tem batalhado independentemente, da sua influência de boas-vindas do passado, bem como um grupo de artistas para o presente.

Desde 2005, a nova formação está viajando e trabalhando num novo álbum, a formação original foi homenageada pelo conjunto de uma caixa de três discos, Play It at Your Sister,lançada pela Sanctuary. A edição limitada do conjunto cobriu o ano 1976-1977, com todas as faixas dos dois primeiros álbuns, juntamente com John Peel Sessions, e material ao vivo. Logo chegou a hora da nova formação para emitir o seu próprio álbum, que chegou em 2008 na forma de um registo, de influencias pop, intitulado So, Who's Paranoid?

Captain Sensible guitarrista fundador e o vocalista Dave Vanian, juntamente com Monty Oxy Moron, Stu West e Pinch, não há sinal do fundador baterista, Rat Scabies, mas, ainda assim, se é um fã de velho punk e ansioso para ver alguns pioneiros(ou se é um velho punk mesmo), deve começar a pensar ver um desses shows.

The Damned 35th Anniversary Tour

Oct

20th - US - Cambridge, MA, Middle East
22nd - US - New York,NY, Irving Plaza
23rd - US - Washington DC, Black Cat
25th - US - Chicago,IL, Metro/Smart Bar
27th - US - Seattle, WA, Showbox at The Market
29th - US - San Francisco, CA, Slim's
30th - US - Los Angeles, CA, House Of Blues
31st - US - Anaheim, CA, House Of Blues

Nov

1st - US - San Diego, CA, House Of Blues
4/5/6 - Fun Fun Fun Fest, Austin, Texas - exact date and time TBA Sep 1st

Nov

9th - Bristol, O2 Academy
10th - Birmingham,O2 Academy
11th - Cambridge, Corn Exchange
12th - London, Roundhouse
13th - Brighton, East Wing
14th - Norwich, UEA
15th - Nottingham, Rock City
17th - Newcastle, O2 Academy
18th - Leeds, O2 Academy
19th - Manchester, Academy
20th - Edinburgh, Picture House

JEAN EPSTEIN - CITAÇÃO

The cinema is true; a story is false.
Jean Epstein, "The Senses I (b)" 1921

BAZ LURHMANN

O elenco de O Grande Gatsby, liderado por Leonardo DiCaprio e Tobey Maguire, reuniram-se em Sydney para o início da produção da adaptação em 3D, do clássico americano de F. Scott Fitzgerald, produzido por Baz Luhrmann.

Os dois serão acompanhados pelo superstar indiano Amitabh Bachchan, Isla Fisher, Jason Clarke e a newcomer Elizabeth Debicki, disse Luhrmann esta quarta-feira.

A estrela DiCaprio no papel-título como Jay Gatsby, e Maguire como Nick Carraway. Joel Edgerton e Carey Mulligan aparecem como Tom e Daisy Buchanan. Debicki como Jordan Baker.

A produção de 126 milhões dólares teve início na Fox Studios Australia, com os estágios de som e locais em Sydney transformados no brilhante Jazz Age New York e Long Island. A Warner Bros, que está apoiando o filme, disse que Luhrmann vai "criar a sua interpretação distinta e o próprio visual da história clássica, trazendo o período de vida, de uma maneira que nunca visto antes.
Que inclui, segundo relatos locais, o transporte de uma frota de carros antigos, para a filmagem Volo Auto Museum in Illinois, incluindo um par de Duesenbergs, e Packard, de 1929, para ser usado por DiCaprio, no valor de $ 3 milhões cada.

O Dia de Natal 2012 também acontece como a data de lançamento de Django Unchained, de Quentin Tarantino, e a estrela DiCaprio.

Esta não é a primeira vez que houve um confronto DiCaprio vs DiCaprio. Em 2002, Gangs of New York, liderado por DiCaprio abriu em 20 de Dezembro, Catch Me If You Can abriu cinco dias depois, 25 de Dezembro.

Atualmente Gatsby e Django são os dois únicos filmes para o dia de Natal. Mas na sexta-feira anterior (21 de Dezembro)estreia Untitled Judd Apatow Comedy (aka Knocked Up Spin-Off), com Brad Pitt-zombie World War Z, Ang Lee com Life of Pi, e o triller assassino de Antoine Fuqua (director de Training Day, e Tears of the Suncom), Hunter Killer.

15/10/2011

COLIN STETSON

Colin Stetson tem novo EP,Those Who Didn't Run, para audição gratuita

ANTHONY KIEDIS

A FX atualmente está a meios de desenvolver dois novos projectos. O primeiro dos quais Scar Tissue, é baseado na autobiografia do vocalista dos Red Hot Chili Peppers Anthony Kiedis. O projecto foi originalmente criado na HBO, mas a The Wrap relata que a FX tomou conta do drama. A FX também está desenvolvendo um projecto chamado The Americans, que gira em torno de um grupo de espiões russos que vivem na América na década de 1980.

THE SUPREME DICKS

A Jagjaguwar anunciou a reedição do catálogo completo The Supreme Dicks para 18 de Outubro.
Saindo da cena Amherst MA, contemporâneos dos Big Black, Sonic Youth, Sebadoh e Dinosaur Jr., The Supreme Dicks, vão ter reeditada a sua discografia. Breathing and Not Breathing, é uma reedição das gravações completas, uma caixa de quatro CDs. Incluirá tanto os álbuns de estúdio da banda, como The Unexamined Life and The Emotional Plague; Workingman’s Dick, uma colecção de arquivo do inicio das suas gravações, o EP This Is Not A Dick, com faixas raras e inéditas, e também estão disponíveis as edições em LP, The Unexamined Life, e The Emotional Plague.

SONIC YOUTH

Kim Gordon dos Sonic Youth e Thurston Moore separaram-se. O primeiro par do indie rock tinha casado em 1984, e têm uma filha de 17 anos, Coco.

Um comunicado da Matador Records diz: " Kim e Thurston Moore vão prosseguir com as suas datas da turnê sul-americana em Novembro. Planos para além da turné são incertas. O casal pediu respeito pela sua privacidade e não desejam emitir mais comentários. "

Já não EXISTE amor verdadeiro?????. NÃO ACREDITO.

PARTS LABOR

Após 10 anos, os Brooklyn DIY, Parts & Labor partem par um hiato indefinido, a partir de Fevereiro de 2012. Mas primeiro vão tocar uma série de shows em Nova York, focando cada um dos seus álbuns, e levando a um show final com os Oneida e os Talk Normal, no Williamsburg venue, 285 Kent a 24 de Fevereiro.

10-19 Brooklyn, NY - Union Pool (Performing songs from Receivers) *
11-18 Brooklyn, NY - Death by Audio (Performing songs from Mapmaker) %
12-03 Ithaca, NY - The Haunt
12-16 Brooklyn, NY - Knitting Factory (Performing songs from Stay Afraid) $
02-24 Brooklyn, NY - 285 Kent Ave. (Last show) #

THE WOODENTOPS - Portugal 2011

The Woodentops, ainda se lembram deles??? fiquei surpreendido, aos anos que não ouvia pronunciar o nome deles, até porque nunca foram uma banda reconhecida com muitos fãs, ou que tiveram grande sucesso.

Fizeram-me recordar velhos e bons tempos, e uma noite na primeira discoteca de Matosinhos ( a cinco minutos de minha casa)o Cais 47 - teve outros nomes que de momento não me estou a lembrar.

Pouco me lembro, a não ser que ainda tenho o bilhete e assinado por eles.

Os The Woodentops tocam hoje em Vila do Conde, mas a 18 euros, devem ficar muitos bilhetes por vender... posso estar enganado!.

Foram banda suporte dos The Smiths, Nick Cave e The Pogues.

Tudo começou na primavera de 1983 com Rolo Mcginty, autor da letra e música dos Woodentops, e mais quatro amigos. Depois de alguns 45 RPM’s e EP’s, só em 1985 editam o primeiro LP "Giant", muito acarinhado pela imprensa especializada, facto que levou-os a fazer uma longa digressão internacional que passou pelos Estados Unidos, Japão e Europa, terminando este período de maior destaque para a banda com a edição do álbum ao vivo "Hypno Beat" em 1986.

Na primavera do ano seguinte visitam Portugal para um concerto no Rock Rendez Vous e em 1988, ano da edição de "Wooden foot cops on the highway" regressam para outro, em Matosinhos.

De 91 a 2006 pouco, ou muito pouco se ouviu falar de uma das mais geniais bandas dos anos 80.

“BBC sessions” é o mais recente lançamento, juntamente com duas outras versões disponíveis: "Vinegar" de 2006 e "3rd Floor Rooftop high" de 2010.

Os Woodentops estão a trabalhar num novo disco, com lançamento para muito breve.

ONEIDA - PORTO

Em concerto dá para perceber que os Oneida já levam os anos de estrada, funcionam como uma banda bem oleada, e com muito ritmo.

Não sendo uma actuação deslumbrante no entanto foi bem conseguida, uma secção rítmica bem aplicada - um baterista Kid Millions muito bom, acompanhado pelo guitarrista Showtime, e o sempre interventivo, comunicativo teclista e vocalista Bobby Matador. O trio Oneida já exausto, acabou a performance em beleza com um encore final, a pedido do satisfeito publico, que não os queria ver partir.

09/10/2011

ONEIDA

Espero um bom concerto, tenho quase a certeza que não me vão decepcionar.

Podem ser pouco conhecidos do grande público mas no meio do rock alternativo são das bandas mais originais dos Estados Unidos. O quinteto de Brooklyn continua a divulgação do álbum Absolute.
Kid Millions, Bobby Matador, Baby Hanoi Jane, Showtime, "Snaps" London são os membros da banda.

O primeiro álbum deles foi A Place Called El Shaddai's . Neste álbum de 1997 há muito experimentalismo sonoro e efeitos psicadélicos. Os Oneida são um daqueles casos excepcionais que consegue ser transversal a décadas de boa música sem nunca soar revisionista.

Assumindo uma faceta, capaz de trazer o melhor do Krautrock, do Space Rock e da electrónica mais cósmica para dentro de canções tão memoráveis quanto desafiantes, contam com um currículo de discos tão importantes como Each One Teach One, Happy New Year ou o colossal triplo-disco que foi Rated O,

Depois do Barreiro onde estiveram no Festival Internacional de Música Experimental OUTFEST 2011, hoje, ás 22 horas é a vez da cidade do Porto.

REAL ESTATE

Depois de formar no Verão de 2008, os indie rockers de New Jersey, Real Estate é constituido pelo Titus Andronicus, Martin Courtney, Etienne Duguay (Predator Vision), Alex Bleeker, e Matthew Mondanile,(Ducktails). O quarteto tocou junto em bandas-incluindo uma Weezer cover band.

Russian Circles

Chin Up Chin Up

Chicago avant-pop combo Chin Up Chin Up (2001–2009)formaram-se em 2001, pelo ex.Punjab e The Hertzsprung Gap, Jeremy Bolen vocalista/guitarrista, ex-Nymb vocalista/guitarrista Nathan Snydacker, baixista Chris Saathoff, e o baterista Chris Dye completam o original lineup.

Um pouco como os famosos Modest Mouse e menos celebrado que os Minus the Bear, Chin Chin Up Up são o rosto amigável do subgênero mais comummente chamado de post-rock. Em 2003 os Chin Chin Up Up fizeram uma extensa tourné, tocando com variadas bandas: Appleseed Cast, the Mercury Program, Pedro the Lion, the American Analog Set, Broken Social Scene, Smog, e Pinback.

A pop-guitar do grupo sugere as American college radio, Chills, the Clean, e the Bats, do catalogo da New Zealand indie, Flying Nun Records, que revelaram uma tonelada de bandas pequenas. Ao segundo disco os indie rockers Chin Up Chin Up mostram o seu DNA musical de grupos, como os The Tall Dwarfs, Look Blue Go Purple, ou The Jean-Paul Sartre Experience (Flying Nun) mesmo que estes jovens com sede em Chicago, provavelmente nunca tenham ouvido esses grupos. This Harness Can't Ride Anything, 2006, um álbum mais orientado para a peculiar pop da banda do que o da estreia, We Should Have Never Lived Like We Were Skyscrapers, em 2004, gravado por John Congleton (90 Day Men, The Roots, The Paper Chase) nos Electrical Audio, e Soma studios.

De registar que banda enfrentou uma perda trágica, o original baixista, Chris Saathoff, estava caminhando para casa depois de um show no Empty Bottle de Chicago, foi atingido pela negligencia de um condutor de um veículo, e morreu de acidente no Dia dos Namorados em 2004. Foi substituído por Jesse Woghin WS. WS Woghin mais tarde foi substituído por Bobby Burg dos Love of Everything, Joan d'Arc, e Make Believe.

Em Março de 2009 o vocalista Jeremy Bolen anunciou na página do MySpace o fim da banda.

www.chrissaathofffoundation.org.

BLONDIE

Parallel Lines, terceiro album,lançado em 1978, e produzido por Mike Chapman, é uma síntese perfeita de matéria-prima das margens do punk, Sixties-pop, cool new wave, e o glamour inventado por Blondie. Deborah Harry inventou um novo tipo de rock & sex appeal, que trouxe estilo submundo de Nova York, para o mainstream. Certamente Madonna estava assistindo.

Stephen Sawyer - foto de Jesus musculado

IF JESUS were here today, what would he look like?.

Na visão de pelo menos um artista, ele seria Chuck Norris mecânico de sandálias, com tinta, e não o "covarde" Messias que foi retratado ao longo da história.

"My ART for GOD, as imagens são projectadas para ajudar a ressuscitar o Filho do Homem do túmulo dos dogmas teológicos que têm minimizado o impacto real da vida e os ensinamentos de Jesus de Nazaré", disse.

Sawyer não está preocupado se as pessoas se sentem desconfortáveis ​​com a sua opinião sobre Jesus. " a minha intenção nunca foi de se preocupar com o politicamente correto com a questão .. só para criar imagens que honram a sua vida e os ensinamentos", disse.

Os detractores costumam citar citações bíblicas contra a sua arte. Entre elas, uma do Levítico, livro do Antigo Testamento: "Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca".

Outra passagem é associada ao profeta Isaías e fala de um Jesus que "não tinha formosura nem beleza", bem diferente do aspirante a galã criado por Sawyer.

Em entrevista ao The Guardian, afirmou que dificilmente Jesus poderia ter derrubado as mesas dos vendedores no templo de Jerusalém se ele fosse um "fracote". "O modelo que eu uso para minhas pinturas é um surfista", disse

Stephen percorre os EUA trazendo a sua mensagem para conferências cristãs como Ichthus em Wilmore, Kentucky e Creation East in Mt. Union, Pennsylvania.

Stephen Sawyer é apaixonado pela arte cristã que reflecte a Vida e os Ensinamentos de Jesus. Estas pinturas mostram Jesus de Nazaré como divino e humano, rindo, sem medo, misericordioso, poderoso e cheio de amor de Deus e da alegria.

"Seguir a Jesus é como compartilhar a sua fé e confiança em Deus, assim como a humanidade. Embora honrar o Cristo glorificado e ressuscitado, vamos sempre lembrar o quão importante o Filho do homem foi e é. Foi Deus como um homem que nos ensinou a rir e amar, perdoar e ser misericordioso, ser paciente e sofrer".

Stephen é um retratista nacionalmente reconhecido Quem escolheu Jesus de Nazaré histórico como objeto principal. Sua arte honra a vida espiritual e reflecte os ensinamentos de Jesus de uma forma única e poderosa. Se mostra Jesus como um boxer, com uma tatuagem, Jesus e os junkie, é o mesmo amor misericordioso de Deus quem tem amor ilimitado para toda a Humanidade.

ANDRES SERRANO -obra polémica destruida

Católicos destruíram a golpes de martelo a foto de 60 cm de altura por 40 de largura de um Cristo crucificado de plástico submerso em um pote transparente cheio de urina. O autor da obra é o nova-iorquino Andres Serrano. A urina é dele.

Manifestantes invadiram (17/4/2011) o Museu de Arte Contemporânea de Avignon, França, e depredaram duas obras de Serrano, uma delas a Piss Christ. Cerca de mil católicos já tinham se reunido ontem defronte ao museu para denunciar o caráter “agressivo” da foto.

Em 1989, a Piss Christ foi apresentada pela primeira vez ao público. Em 1997, foi alvo de vândalos na Austrália e em 2007 na Suécia. A obra – que recebeu prêmios – faz parte de uma coleção do autor de estatuetas clássicas submersas em fluidos como leite e sangue.

Nascido em 1950 em Nova York, de 1967 a 1969 estudou no Museu de Arte e Escola de Brooklyn, New York.

Andres Serrano causou polêmica em 1987 ao apresentar o seu trabalho "Piss Christ". Opiniões dividem-se, é rotulado blasfema, e ofensiva a submergir um crucifixo em urina, enquanto outros alegaram uma violação da liberdade de expressão se o seu trabalho for removido das galerias.

Na verdade Serrano foi criado numa família católica devota e a religião era muito importante durante a infância. O artista enfrenta tabus sobre a sexualidade em "Budapeste" 1994 e "A História do Sexo", no entanto muitas pessoas vêem o seu estilo e conteúdo como pornográfico.

Parece determinado a evitar polêmica com a sua série de 1992 "La Morgue". Sem dúvida estes são belas fotografias que representam a morte que somos confrontados com a realidade da nossa própria mortalidade de muitos jovens que morrem prematuramente ou violentamente.

Outras peças conhecidas de Serrano "Piss Light", que juntamente com "Papa Vermelho I, II e III" fazem a série "Sagrado e Profano". Ele diz estar interessado em que o sangue, urina e o sêmen podem ser usados para criar imagens vivas e abstractas.

A contribuição das suas obras são paradoxais (apresentada em série)não conduzem a um final. Ao contrário tendem a deixar o público pendurado entre as percepções que alteram o quotidiano, para levá-lo a ver o mundo de um outro local.

"No meu trabalho eu procuro sempre o inusitado, ou pelo menos não o tradicionalmente considerada bonito. Eu tento achar normal no estranho e vice-versa. "

Sofia Coppola + Somewhere + banda sonora

Sofia Coppola, Somewhere, Soundtrack. Thomas May (namorado de Coppola) é membro da banda francesa Phoenix.

Actores: Benicio Del Toro, Michelle Monaghan, Elle Fanning, Stephen Dorff, Laura Ramsey, Alden Ehrenreich, Robert Schwartzman, Paul Vasquez, Chris Pontius


01. Phoenix - “Love Like a Sunset Part I”
02. William Storkson - “Ghandi Fix”
03. Foo Fighters - “My Hero” 

04. The Police - “So Lonely”
05. Amerie- “ 1 Thing”
06 . T.Rex - “20th Century Boy”
07. Gwen Stefani - “Cool”
08. Paolo Jannacci - “Che si fa”
09. Romulo - “Teddy Bear”
10. Kiss - “Love Theme From Kiss”
11. The Strokes - “I’ll Try Anything Once”
12. Sebastian Tellier - “Look”
13. Bryan Ferry - “Smoke Gets In Your Eyes”
14. William Storkson - “Massage Music”
15. Phoenix - “ Love Like A Sunset Part II”

THE ARTIST - FILME

Lisboa, Almada, Porto, Guimarães, Faro e Coimbra são as cidades que acolhem esta ano a Festa do Cinema Francês, que preparou um programa de luxo para a sua 12ª edição.

«The Artist» (França, 2011).Em 1927 em Hollywood, o actor de filmes mudos George Valentin (Jean Dujardin) teme a sua iminente decadência quando os filmes começam a ser falados.

É um dos grandes filmes da temporada, uma homenagem ao cinema que valeu a Jean Dujardin o troféu de Melhor Actor no Festival de Cannes e que começa agora a ser falado para os Óscares.

12º FESTA CINEMA FRANÇÊS

Festa do Cinema Francês apresentou o passado e o presente começando pela projecção da versão restaurada de “Viagem à Lua” de 1902, e prosseguindo com a projecção de “The Artist”.

O primeiro é ainda um dos marcos dos primórdios do cinema, referenciado na cultura popular contemporânea vezes sem conta ( videoclip “Tonight, Tonight” dos Smashing Pumpkins e de “Moulin Rouge” de Baz Luhrmann). Esta versão restaurada tem ainda a novidade de ter uma nova banda sonora original, a cargo da dupla francesa Air.

“The Artist” é o maior feito na era digital e barulhenta, a homenagear uma era “muda”. O ano é 1927,o local, é Hollywood. George Valentin é uma estrela do cinema mudo, mas em pouco tempo, verá o seu futuro comprometido com a chegada do cinema “sonoro”. No meio, surge uma aproximação com uma jovem figurante, Peppy Miller, que se vem a revelar mais profunda que um mero encontro de ocasião.

Artigo retirado do site www.c7nema.net

RADIO UNIVERSITARIA COIMBRA

Por ocasião da apresentação da Grelha de Inverno 2011 / 2012, a Rádio Universidade de Coimbra e a Lugar Comum trazem até Coimbra, no próximo dia 08 de Outubro de 2011, a norte – americana Eleanor Friedberger e o britânico Euros Childs. Esta colaboração entre a RUC e a Lugar Comum insere-se nas comemorações dos 25 Anos da Rádio Universidade.

Fundada por Eleanor e pelo seu irmão Matthew, contabilizam nove álbuns em seis anos. Last Summer, é o primeiro trabalho a solo de Eleanor Friedberger, e excluíu de todo o processo o seu irmão Matthew, recorrendo à produção de Erik Broucek (DFA).

Em 1991, contava apenas quinze anos de idade quando fundou os Gorky’s Zygotic Mynci, colectivo galês. Após a gravação em 92 do EP “Patio”, surgiu a aclamação da crítica, particularmente de John Peel. Vinte anos volvidos, os Gorky’s encerraram actividade em 2003, persiste um enorme culto em torno da figura de Euros Childs. Desde 2006, editou seis álbuns de originais, alguns dos quais totalmente interpretados em galês, tendo também fundado o projecto Jonny, na companhia de Norman Blake dos Teenage Fanclub.

OUT FEST 2011

Como não é um festival normal, será que posso dizer que o Out Fest no Barreiro é um dos melhores festivais de rock que se fazem em Portugal.... e eu nunca lá fui?.

Chega em 2011 à 8.ª edição e uma vez mais com uma excelente programação.Depois de uma edição marcante em 2010, que contou com Panda Bear como cabeça de cartaz, a música irreverente de artistas experimentalistas conta com um elenco convidativo:Schlippenbach Trio,Filme: “Soundtraker – a portrait of Gordon Hempton”, de Nick Sherman, Dieter Moebius( o alemão fundador dos Kluster com Hans-Joachim Roedelius e Conrad Schnitzler (falecido há dois meses)nos anos 60, depois Cluster quando passou a duo após a saída de Schnitzler, e os Harmonia, com Michael Röther dos Neu!, com participação de Brian Eno) Sei Miguel Unit Core c/ Norberto Lobo, Oneida
Stephen O’Malley, Damo Suziki’s Network c/ Sunflare, e os portugueses Tropa Macaca

08/10/2011

Rock Poster Society’s 13th annual Festival of Rock Posters in San Francisco

Hoje os visitantes do Rock Poster Society’s 13th annual Festival of Rock Posters in San Francisco, tem vários artistas, entre os quais EMEK, cujas seriagrafias psychedelic-steampunk, estão entre alguns dos melhores pedaços de papel no mundo do poster rock. Uns vão poder adicionar a assinatura do artista ao fundo de um poster comprado num concerto. Outros vão tentar comprar um dos exemplares raros remanescentes e ingressos esgotados de cartazes encomendados para o festival que eles não puderam comparecer, como no show recente dos Pearl Jam em Edmonton, Alberta, (o rosto de um chefe indígena, costurado a partir de sucatas de tecnologia e ossos) ou da performance dos Radiohead no Roseland Ballroom, em Nova York.

No início de 1990, quando o primeiro artista exibiu os seus trabalhos em que se tornaria um encontro anual no Golden Gate Park, não havia muito para sugerir que ele um dia seria uma estrela de rock no mundo do poster rock. "entrei muito cedo e na minha carreira", diz Emek, que se mudou de Los Angeles para Portland, Oregon, há cerca de cinco anos atrás ", então eu realmente não tinha muita arte para mostrar".

Mas Emek lembra-se das suas primeiras reuniões com os poster artists dos anos 1960 que estaramp resentes, como Stanley Mouse, Lee Conklin, Chuck Sperry.

Outros artistas de segunda geração que vão estar no show TRP incluem Marq Spusta, que criou cartazes para My Morning Jacket e Phish. O cartaz o energico casal Chris Shaw e Alexandra Fischer estará mostrando o seu trabalho com Moonalice, cujo vocalista e guitarrista ritmo é o capitalista de risco Roger McNamee (um de cujos parceiros de negócios é Bono).

Na última contagem, Moonalice tinha encomendado mais de 400 cartazes de cerca de 24 artistas. Um dos mais prolíficos deles é David Singer, que detém o recorde da maioria dos cartazes - 75 - projectado para o lendário concerto do famoso promotor Bill Graham.

The old-school bookend Mr. Singer é Wes Wilson, o pai do cartaz rock psicadélico. Em 1965, o Sr. Wilson fez panfletos para os acid tests de Ken Kesey, e em 1966 fez cartazes para as últimas apresentações de Lenny Bruce e Beatles. Ele também projectou, co-projectou, em alguns casos todos, e um dos doze primeiros cartazes the Family Dog(Fevereiro a Junho de 1966), e sete dos primeiros 62 cartazes para Bill Graham (de Março 1966 a Maio de 1967).

Wim Delvoye ao Raio x

Por volta de 2001, o artista pediu a alguns dos seus amigos para pintar partes de seus corpos com pequenas quantidades de bário e, em seguida, fazer sexo real em clínicas médicas.




Em exposições, os raios-X são apresentados como janelas gigantes em vitrais de janelas. A uma distância as formas abstractas, mas quando se aproxima e estuda em detalhe consegue-se ver de que é composto.

Wim Delvoye - tatoo de porcos

Wim Delvoye tatua porcos desde os anos 1990. No início do séc. XXI, um projecto de porcos tatuados foi criado na Art Farm in China, onde há restrições quanto ao menos bem-estar do animal, do que em muitas partes do mundo ocidental. Em 2005, o seu colega, o artista Danny Devos, passou vários meses na fazenda, reorganizando, gerenciando e reconstruindo. Ele é vegetariano.

THE FEELIES

Em 2008, a seminal banda de New Jersey, The Feelies reuniram-se para um concerto pela primeira vez em 16 anos, no Maxwell em Hoboken. Seguido por uma turnê bem sucedida pelo Nordeste, a banda permaneceu desconhecida ou não, mas voltaria em plena forma no outono passado (Time for a Witness foi o quarto album antes de se separaram) entrando em estúdio em Hoboken para gravar Here Before.

Na entrevista a Glenn Mercer, disse que "havia uma maior pressão anteriormente, então porque está assinando com uma grande editora, e há muito mais pessoas envolvidas, e muito mais opiniões muito que se apresentam para a banda".

Eu tinha uma tonelada de pensamentos diferentes. A primeira coisa é que eu estava animado era ansioso para o gravar, para trabalhar com a banda novamente. É emocionante. É claro, você está sempre nervoso, entrando em território desconhecido, e tinha sido um longo tempo. Mas nós sentimos bastante confiante na verdade, porque tínhamos passado um bocado de tempo gravando demos. Basicamente, quando chegamos ao estúdio, tivemos uma imagem muito clara do que queríamos fazer, e um boa idéia.

A única coisa que me fez nervoso era ou não ter tempo suficiente para fazê-lo. O orçamento era muito pequeno, e tivemos que dividi-lo em diferentes secções. Por isso, demorou cerca de quatro meses em quatro sessões diferentes, mas o tempo real de gravação foi um pouco mais de duas semanas. Funcionou bem, fiz um pouco de gravação em casa também, e transferi-o para as fitas master, o que ajudou.


"It's only when you're in a moment of reflection that you think in terms of how unusual it is to go 20 years and think how fortunate you are to be able to do it."

Only Life tinha reverb demais, mas era típico dos anos 80.Time for a Witness, foi feito num momento em que as pessoas estavam fazendo discos de noise, e garage,... de modo que provavelmente tinha um pouco de influência sobre ele.

Depois de 20 anos de experiências em nossas vidas, não é totalmente onde paramos. Mas, de certa forma, é. Nós temos um som que realmente não podemos evitar. É só o que acontece quando nos reunimos para tocar. Não é um plano mestre para o som de certa forma, é apenas uma combinação. Nós crescemos, aprendendo os instrumentos, e nós tivemos influências semelhantes ... Eu acho que apenas cinco pessoas contribuem para este som. Todos nós já tivemos essa mesma abordagem e sempre a tivemos paar com os nossos instrumentos, mas acho que a única diferença real é que Here Before.. é um pouco mais refinado agora. Você pode chegar ao ponto onde você sente que está expressando-se mais facilmente, apenas com a experiência.

Quando lhe dizem que os Feelies não são apenas uma das bandas de New Jersey, por excelência, mas também "a única banda que pode efectivamente descrever vivendo no subúrbio de Nova Jersey." Você acha que é uma descrição apropriada, e por quê?

Bem, quando você considerar todas as bandas que vieram de New Jersey, não há realmente nenhum "som Jersey" que eu possa ouvir. Eu acho que é a nossa música reflecte o nosso meio de vida nos subúrbios. Se estivéssemos numa grande cidade certamente seria diferente. Eu nunca vivi em qualquer outro lugar, então não posso comparar New Jersey com outros lugares.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails