28/12/2012

R.I.P RAY COLLINS

Ray Collins, o vocalista original da banda de LA, Mothers of Invention, morreu a 24 de dezembro, em Pomona, Califórnia. Ele tinha 73 anos.

O Pomona Valley Hospital Medical Center, confirmou a morte de Collins. Ele foi internado no 18 de dezembro, em plena paragem cardíaca e estava em coma induzido desde então.

RAY COLLINS looks more like a grandfather, but he's actually a Mother.

Collins de cabelos brancos, foi o cantor convidado por um jovem Frank Zappa para se juntar os Soul Giants, a banda que se tornaram os Mothers of Invention, em meados da década de 1960.

Por volta de 1961, Collins viu Zappa tocar na Sportsman Tavern in Pomona em frente ao Broadside on Holt east of Reservoir, e apresentou-se.

"Nós gostamos um do outro instantaneamente", disse Collins. Eles compartilhavam o amor de uma grande variedade de música, incluindo doo-wop, e uma admiração pela cómico de TV Steve Allen.

Collins cresceu em Pomona, tocou em varias bandas de rock local de doo-wop. Em 1964, juntou-se Soul Giants, uma banda de covers R & B que se tornou o núcleo dos Mothers of Invention.

1964, Collins juntou-se aos Soul Giants por acidente. Quando a banda fez um teste na Broadside, o dono do clube insistiu que Collins, teria que substituir a cantora se a banda queria o show.

A banda consistia do baterista Jimmy Carl Black, o baixista Roy Estrada, o saxofonista Davy Coronado e o guitarrista Ray Hunt.

Hunt, no entanto, foi incompetente ou propositadamente confuso para ser rancoroso, diz Collins.

Problemas com o guitarrista do grupo levou ao recrutamento e conhecimento de Collins, que trouxe Zappa para sua própria banda rebatizada de Mothers. Zappa relatou como ele se juntou à banda após Collins dar um soco no guitarrista anterior.

"Eu era novo na banda, mas foi até mim para me livrar dele", diz Collins. Depois foi - não foram socos, insiste - ele fez uma sugestão fatídica.

"Eu disse-lhes : 'Eu sei de um guitarrista de Cucamonga. Seu nome é Frank Zappa", " disse Collins.

Zappa fez um teste e encaixou perfeitamente, mas era um compositor prolífico e uma nova direção foi chamada para ele.

"Se você vai tocar a minha música, eu vou fazer você ficar rico e famoso", disse Zappa.

Covers ficaram pelo caminho, como Coronado e o nome da banda. Zappa e Estrada ambos tomaram o crédito mais tarde para o nome de Mothers, mais tarde alargado para Mothers of Invention, por insistência da gravadora.

A primeira gravação foi em 1966 com "Freak Out!", Um duplo LP de rock underground, escuro, e satírico .

"Nunca ninguém tinha ouvi nada assim", diz Collins.

O segundo LP, "Absolutely Free", sai em 1968 antes do marco, "We're Only in It for the Money."

Zappa tinha efetivamente assumiu o controle da banda, levando a tensão. Collins tinha sido ambivalente sobre os Mothers desde que Zappa mudou a banda de Pomona para Hollywood para perseguir um contrato de gravação.

Sob Zappa, os Mothers não são a mesma banda que Collins se tinha inscrito. Sair se tornou uma piada.

"Eu acho que eu fiz isso quatro vezes, talvez", diz Collins. "Eu não gosto de fazer essas coisas no palco. Muita comédia, muito divertido fazer coisas."

Enquanto palhaçada era parte da sua personalidade ", eu queria fazer uma música linda. Fui criado com Johnny Mathis e Nat King Cole."

Collins toca com Zappa mais algumas vezes e contribuiu para vários álbuns seguintes, nomeadamente "Cruising With Ruben & the Jets." Mas a sua carreira musical muito terminou em 1968.

Ele também não fez muito dinheiro, tendo deixado os Mothers antes de se tornarem rentáveis.

Ele mudou-se para Claremont, após um acordo modesto legal com Zappa sobre a sua e outras contribuições dos membros fundadores da banda, diz ele. Zappa morreu em 1993 de cancro de próstata.

Collins recusou várias ofertas para juntar aos Mothers, uma banda composta por ex- grisalhos, Mothers.

Em vez disso, ele viveu uma existência-a-boca, principalmente pela escolha. A sua única renda era a Segurança Social, e duas vezes anuais royalties de co-escrever a canção doo-wop "Memories of El Monte."

É o suficiente para sobreviver. "Mas não o suficiente para pegar mulher", Collins.

"O dinheiro não tem sido apenas meu amigo. Gostaria de saber se isso é uma coisa psicológica", brinca. "Pergunto-me se eu associo-o com ` não é bom '

"People will ask why it's been 40 years since I've been onstage. I don't know," Collins admits as we talk at a picnic table in the park, birds chirping.

"If you just enjoy life," Collins continues, "it's conducive to not being successful. You know what I mean? I just enjoy life.

CRAWLSPACE

CRAWLSPACE ¿Et II Bluto? (The Lotus Sound).  A história de Crawlspace começa na era do punk-rock. O cantor Eddie Flores (que cresceu no Alabama) mudou-se para Bloomington, Indiana, para tocar nos Gizmos, e produziu três EPs de 7 polegadas, o primeiro em 1976. No final dos anos 70, o grupo dividiu-se (depois de um alinhamento diferente do grupo gravado no disco apenas sob o nome Gizmos). Flores mudou-se para Los Angeles e tocou com Steve Wynn, por algum tempo, antes de Wynn começar  nos Dream Syndicate.
 O movimento decisivo para Flores foi quando alguns dos seus velhos amigos de Indiana se mudam para Los Angeles: the Lazy Cowgirls.. Em 1985, Flores ficou com o guitarrista Keith Telligman (que tocava baixo nos Cowgirls) Allen Clark, e Billy Ray McCarter, eo grupo se tornou Big Dad & 10 Lbs.of Swingin' Meat.
 O estilo do grupo (que era uma fusão natural dos estilos dos Gizmos e Lazy Cowgirls) marcou um retorno ao rock violento de Detroit, semelhante ao som dos MC5 e os Stooges.

 Flores, no entanto, começou a experimentar com um som mais progressivo que foi uma combinação de um pouco de tudo, de free jazz ao ácid-rock, a partir de Krautrock para a vanguarda. O quarteto começou a praticar uma espécie de improvisação coletiva que tinha menos a ver com o punk-rock, e muito menos com o rock em geral.

 Eles estrearam em abril de 1988 na compilação Gimme the Keys (Trigon Records)com as musicas  "Time For Fun," "The Void That Slithers," e the MC5's "Black to Comm" . Os ensinamentos de uma ideologia libertina que inclui (citando uma inserção) Ornette Coleman, John Coltrane, Sun Ra, Eric Dolphy, Miles Davis, e do Art Ensemble of Chicago eram evidentes no seu estilo, enquanto ainda mantém as raízes do rock experimental de Captain Beefheart, Frank Zappa, Can, Grateful Dead, e Yoko Ono, bem como os seus pais espirituais da cena hardcore Black Flag, Minutemen,e os Birthday Party.

Byron Coley, Forced Exposure  define assim . . . " loose, juiced, brilliant acid-mumble-sprawl by the west coat's kings of lost chordage. Allowed 66 minutes to roam the walls at will" os  Crawlspace evocam um mundo onde sotaque; twang = drone = fuzz = e o olhar e a fusão é tudo  tão natural como un-de-fleeced pubis- a musica do quinteto não é facilmente acessível, é mais propensa a consumir o ouvinte com as suas guitarras sinuosas que levam a uma walls of sound.... e as letras [Eddie] tem uma poesia deformado, mas forte para eles... . Drop one or two and turn it up "- Eddie Flowers, Joe Dean, Mark McCormick, Keith Telligman, and Bob Lee.

Edwin Pouncy, Top Magazine: "This latest selection from the Californian band is a gorgeous, multi-coloured blend of disharmony and psyched-out cacophony."  Tony Rettman, 200 Lb. Underground: "The even mix of insane lucidness and focused flow conveys the ups, downs, and above middles of a trip in the same way the Dead's Anthem of the Sun did."  Bruce Cole of the Screamin' Mee-Mees: "¿Et II Bluto? sounds so cock, it's bogus! 

David Sprague, Request: "Not since the heyday of ESP Records has head music been pushed to the glorious extremes Flowers' crew reaches. Those who've dreamed of a Can/Stooges jam session should consider the members of this formidable quintet their Prince Charmings." 

ANGEL CORPUS CHRISTI

Durante os últimos vinte anos, a  singer-songwriter-accordionist -Angel Corpus Christi tem vindo a produzir os seus únicos tristes engraçados sons avant-pop em San Francisco.

Onde tantos nada cavaram inútil saudade de estilos - reivindica o crédito pelo seu exigente gosto do que qualquer outra imaginação criativa, a singer/accordionist pop anti-diva de San Francisco, Angel Corpus Christi (Andrea Ross) seleciona e faz um uso produtivo e moderno de modelos vintage. Angel começou a sua excêntrica carreira com uma série de singles e álbuns independentes, escritos gravados e lançados com o marido, o guitarrista / cantor Rich Stim (cuja carreira na franja do rock DIY remonta a 1976, quando o som MX-80 começou a explodir em Bloomington, Indiana), e os seus companheiros musicais. 

 Depois de dois "low-key" álbuns em meados dos anos 1980 na Criminal Damage, 1990 viu o lançamento de, Accordion Pop vol. 1, e The 80's. Nos princípios dos anos 1990, ela assinou com a major-label,  Almo Sounds,  emite White Courtesy Phone que conta com a participação de Herb Alpert.Ela também gravou com Dean Wareham (Galaxie 500 e Luna) e AlanVega  (Suicide), e tocou acordeão em Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space,1997 dos Spiritualized.


 Os primeiros trabalhos (disponível no mercado interno apenas, numa fita  na a&r/ENT - reeditado em CD via Gulcher Records) ) inclui um conjunto temático de Gotham relacionado com covers, e músicas de Ramones, Suicide e Lou Reed (I Love New York), o original Wake Up & Cry and Dim the Lights, e uma coleção desacompanhada squeeze-box covers (Accordion Pop Vol. I -  Monkees ("I'm a Believer"),  Velvet Underground ("Femme Fatale"),  Beatles "Hey Jude"  além de  "Imagine" como parte de um medley com Stones "You Can't Always Get What You Want").  

Originalmente auto-lançado em CD, The 80's reúne 10 faixas gravadas 1984-1989, é meia-retrospectiva e contém uma das músicas conhecidas de Angel ("John Cassavetes") um tributo amoroso de Angel para um herói falecido, e uma verdadeira jóia que deveria ter sido um grande hit indie-rock há 14 anos, e um remake de Alice Cooper " I'm 18".

Quatro das seleções de THE 80'S apareceram originalmente em I Love New York, um  12 polegadas lançado em 1985: tema de Bernard Herrmann  para Martin Scorsese Taxi Driver, completo por Travis Bickel e falado por Angel; Richard Hell's "Blank Generation," num solo de Bruce Anderson;  Alan Vega compartilha os vocais na groovy cover dos Suicide's "Dream Baby Dream"; e  Lou Reed's "The Day John Kennedy Died.".
 Ascendendo a uma mainstream label  em 1995, Corpus Christi num raro e incomum sentido volta para trás com o melhor album de new wave. Presença vocal, diversos arranjos synth, ecos inicio dos anos 80s de dance-club, Angel canta melodias extremamente elementares e engenhosas de Toni Basil, Lene Lovich, Martha and the Muffins, Álgebra Suicide, Hilary, etc. Adotando uma postura de entusiasmo levemente confuso, canta letras improvisadas sobre o estado da desintegração do mundo ("Black Cloud Big", "Nature Girl "), as suas próprias falhas (" Lazy ", "Threw It Away"), sex ("Dim the Lights," "Candy") e um amante presunçoso (" Been There Done That "). Mas, com um álbum tão confiante, instantaneamente adorado comoWhite Courtesy Phone, não importa para onde ela está ligando. Afinar o que Angel já havia esboçado em The 80´s (há mesmo um remake de "John Cassavetes"), Craig Leon produziu e tocou todos os teclados, o trompetista convidado em "Lazy" é senão o proprio Herb Alpert - da Almo Sounds label).

O disco Divine Healer, foi editado na Gulcher em 2003. Este lançamento de Angel, o primeiro desde o tristemente negligenciado disco na major-label  em 1995, White Courtesy Phone ( Herb Alpert Almo label). A banda principal inclui- Angel (vocals, accordion, harmonica), Rich Stim (guitar, bass, piano), Dave Mahoney (drums), George Earth (guitar, bass) aumentado com as contribuições do songwriter Don Ciccone, Dean Wareham (Galaxie 500 e Luna), o guitarrista dos Switchblade Symphony- George Earth, no baixo Nancy Kravitz, e por atrás da mesa de mistura Craig Leon (Ramones, Blondie, etc.), Mark Bingham (MX-80, Social Climbers, etc.), e Dave Nelson.

 O casal Angel (Ross/Stim ) ressuscita para todos os ouvidos, feito com uma versão de Bruce Anderson "Clown Sex," Angel provando que não precisa de letras para voar, as covers "Eve of Destruction" (P.F. Sloan e Steve Barri/Barry McGuire), "Hurdy Gurdy Man" (Donovan), "Home Sweet Home" (Motley Crue!?), "I Want Everything" (original de Angel e o colaborador Dean Wareham), e "Brown Wheat" (Friedman e Recht/El Destroyo).

 Em 2009, Angel, trabalhou com o produtor Dave Nelson, desconstruindo sete canções de Elvis Presley no lançamento, Elvis Elvis. Em 2012, lança, um EP com cinco canções, Angel Does X-tal, um  tributo há banda de San Francisco, X-tal.


 I Love New York (UK Criminal Damage) 1984
Wake Up & Cry (UK Criminal Damage) 1985
Dim the Lights [tape] (a&r/ENT) 1987
Accordion Pop Vol. 1 (Stim) 1989
The 80's (a&r/ENT) 1989
White Courtesy Phone (Almo Sounds) 1995

O TYPE

O-Type era o apelido de Anderson e do baixista Dale Sophiea usado para criar a música tema de um filme da Ralph (o tema que surge Das Love Boat - o barco do amor) .MX-80 também voltam cantando com a mulher de Stim, Angel Corpus Christi, nos seus lançamentos, discos que misturavam Patti Smith-poesia no wave. Se alguma vez uma banda percebeu o potencial o p pre-punk "underground" noise rock, MX-80, é isso.O-Type "Mommy" 1994, Quadruped.

 Desnorteado, mas revigorado por estar de fora, não importa onde eles eram ou a ediitora que os contratou, Anderson e Sophiea, fundaram a sua própria editora, Quadruped, ocupada de vários tipos diversos de música sob uma série de nomes, incluindo, O-Type, The Gizzards, Brutality, Half-Life, MX-80.

A estratégia dispersa confusa parece ter tido algum efeito, desde álbuns de MX-80, Brutality lançados em CD pela Atavistic Records  fora de Chicago e O-Type  "Mommy" saiu sob a bandeira da Oakland Electro-Motive antes da banda ir para a Family Vineyard, na sua cidade natal, Bloomington.

 Desde então, Family Vineyard lançou cinco álbuns dos O Type a partir de uma série de gravações chamada The New Edge - 5xCD/DVD "Strict," "Brutality II," "Balkana," "Medication," "Lugubrious" and "Western Classics" e o primeiro DVD da banda "Godawful", e MX-80  “We’re An American Band”.

BRUCE ANDERSON DALE SOPHIA- MX-80 SOUND

Bruce Anderson and Dale Sophiea / Medication / Family Vineyard/Quadruped (CD).Os dois músicos tem vindo a trabalhar uns com os outros há mais de 30 anos. Este álbum foi embalado como medicação, não só apresenta as referências titulares à euforia química, mas os nomes das faixas são uma lista de "efeitos secundários que podem ocorrer".

27/12/2012

TERRY BOZIO

 Happy Birtday Terry Bozio, 27 de dezembro
Terry Bozio nasceu em San Francisco foi inspirado para se tornar um baterista, depois de ver os Beatles tocar no Ed Sullivan Show. Após o liceu, ele foi para a Faculdade de Marin com uma bolsa de estudos de música. Depois da escola, el tocou uma série de grupos de jazz locais.
Em 1975, Bozzio gravou e andou em tourné com Frank Zappa. Durante esse tempo, conheceu o guitarrista Warren Cuccurullo e os dois, junto com a então vocalista e esposa  de Terry, Dale, fundaram a banda, Missing Persons.

Depois que a banda se separou, Bozzio trabalhou a solo com Andy Taylor dos Duran Duran. Também trabalhou com Robbie Robertson, Don Dokken, Herbie Hancock,  Dweezil Zappa e Marx Richard.

REEDIÇÕES 2012

No decorrer de 2012, tem sido quase impossível- como ultimamente, não há uma semana sem outra, sem nova reedição, acotovelando-se nos novos lançamentos, uma "confusão gloriosa" - uma série de grande música que ultrapassa as fronteiras de género e estilo. Relançamentos de arquivo, álbuns ao vivo, free-to-download misturas, compilações e probabilidades e extremidades,as listas tem de tudo,
  1. Can – The Lost Tapes
  2. Black Rain – Now I’m Just A Number
  3. Swans – We Rose From Your Bed With The Sun In Our Head
  4. Ruff Sqwad - White Label Classics
  5. Lee Hazlewood, The LHI Years: Singles, Nudes, & Backsides (1968-71)
  6. SunnO))) – ØØ Void
  7. William Basinski – The Disintegration Loops Box Set
  8. Sleep - Dopesmoker
  9. Laurie Spiegel - The Expanding Universe
  10. Tortoise – Millions Now Living Will Never Die
  11. CC Hennix & The Chora(s)san Time Court Mirage - Live At The Grimm Museum
  12. Uncle Acid & The Deadbeats – Blood Lust
  13. Chris Watson & Robert Macfarlane - The Sea-Road
  14. Laibach - Retro-Monumental Avant-Garde live at the Tate Modern
  15. Levon Vincent - Fabric 63
  16. Ike Yard - Ike Yard
  17. Wire - On The Box
  18. Cleaners From Venus – Midnight Cleaners
  19. Morphosis - Live At Panoramabar (Mnml Ssgs Mix)
  20. Porter Ricks – Biokinetics
  21. Karenn - Live At The Boiler Room
  22. Iain Sinclair - Stone Tape Shuffle
  23. Trans Am – Red Line
  24. Various Artists - Disco Discharge: Disco Exotica
  25. Annette Peacock – I Am The One
  26. Residents: Duck Stab (reissue)
  27. Pangaea - Mix For Resident Advisor
  28. Gareth Williams & Mary Currie - Flaming Tunes
  29. Cornershop – Urban Turban
  30. Surgeon - This Is The Place Where The Intellect Gets Annihilated (Mix)
  31. Jacques Brodier - Filtre De Relate
  32. Daphni – Jiaolong Album Launch Party Mix
  33. Shangaan Shake - Shangaan Electro Remixes
  34. Boban I Marko Markovic Orkestar – Golden Horns
  35. Electronic Explorations - Electronic Explorations Compilation
  36. Front 242 - Front By Front
  37. Minny Pops - Standstill to Motion: Live at the Melkweg, 19-03-1981
  38. Sonic Youth – Smart Bar: Chicago 1985
  39. High On Fire – The Art Of Self Defence
  40. ROB - Make It Fast, Make It Slow
  41. The Clarke and Ware Experiment – House Of Illustrious Box Set
  42. Bo Ningen - Live At St Leonards
  43. My Bloody Valentine – EPs 81 – 91
  44. Regis - Complete Works
  45. Various Artists – Trevor Jackson Presents Metal Dance
  46. Ride - Going Blank Again
  47. Peter Zummo & Arthur Russell - Zummo With An X
  48. Smith & Mighty - The Three Stripe Collection
  49. The Heads - Relaxing With The Heads
  50. Various Artists – Andrew Weatherall: Masterpiece
  51. John Carpenter and Alan Howarth – Escape From New York OST
  52. Various Artists - Personal Space: Electronic Soul 1974-1984
  53. Paperclip People - The Secret Tapes of Dr Eich
  54. Edzayawa - Projection One
  55. Atomic Forest – Obsession
  56. Various Artists – Cumbia Cumbia
  57. Mogwai - A Wrenched Virile Law
  58. Thirteenth Floor Elevators - Music Of The Spheres Box Set
  59. Joy O – Resident Advisor Mix
  60. The Cure – Pornography
  61. Helmet - Meantime
  62. Witch – We Intend To Cause Havoc
  63. Manic Street Preachers – Generation Terrorists
  64. Various Artists - Luk Thung: Classic & Obscure 78s From The Thai Countryside
  65. The Human League – Dare
  66. David Sylvian - A Victim of Stars
  67. The Velvet Underground: The Velvet Underground and Nico 45th Anniversary 6-CD box set 
  68. The Body – The Body
  69. Suzanne Ciani – Lixiviation
  70. The Beat – I Just Can’t Stop It
  71. Soul Cal – Funky Disco & Modern Soul (1971 – 1982)
  72. Michael Nyman - Michael Nyman
  73. Andrzej Korzynski - Secret Enigma 
  74.  Karen Dalton, 1966(1969′s It’s So Hard to Tell Who’s Going to Love You the Best,
  75.  My Bloody Valentine – EPs 1988-1991
  76. Lee Hazlewood, The LHI Years: Singles, Nudes, & Backsides (1968-71)
  77.  David Bazan: Fewer Moving Parts (reissue) [vinyl]
  78. The Trypes Music for Neighbors Acute
  79. David Kilgour Here Come the Cars (DeStijl)
  80.  Califone: Roomsound (reissue) [vinyl]
    David Kilgour Here Come the Cars (DeStijl)
    Om: Conference of the Birds (reissue) [vinyl]

FRANK ZAPPA

Finer Moments é uma colecção de performances ao vivo, sobretudo de temas das décadas de 60/70.

JULIÃO SARMENTO

Na pintura e, de um modo geral, nas imagens de Julião Sarmento, a palavra disputa os poderes de figuração e comunicação. Discutindo a primazia de corpos e objectos, podemos ler sobre as mais diversas superfícies (pinturas, desenhos, etc.) expressões ou frases como ta bouche (“a tua boca”), flying to (“voando para”) ou please don’t ever leave me (“por favor nunca me deixes”). Não são explicitações da “mensagem” de cada obra, antes modos calculados, calculadamente perversos, de resistir à pedagogia tradicional que garante que “uma imagem vale mil palavras”.

 Em boa verdade, uma palavra pode valer mil imagens... Num mundo dominado pela indiferenciação (televisiva) das imagens, Julião Sarmento insiste num outro programa pedagógico: o de garantir ao espectador que o seu olhar é sempre uma forma de leitura. Ou ainda (e porque esta é uma obra de paciente perscrutação das ambivalências do prazer): que o espectador não se escude no fingimento de quem apenas contempla o desejo do “outro” (pintor, fotógrafo, cineasta, etc.), já que o seu olhar é sempre um instrumento (ou como dizia o outro: uma máquina) desejante. Há, por isso, um desconcertante efeito realista na notável exposição retrospectiva de Julião Sarmento, comissariada por João Fernandes e James Lingwood (patente em Serralves, até 3 de Março de 2013).
 Diário de Notícias (16 Dezembro), com o título 'Nas palavras de Julião Sarmento'.

 O Museu de Arte Contemporânea de Serralves inaugurou no dia 23 de Novembro a mais completa exposição retrospectiva de Julião Sarmento (Lisboa, 1948) até agora realizada. Nas últimas quatro décadas, a obra de Julião Sarmento tem conseguido uma ampla circulação internacional, fazendo do seu autor um dos mais reconhecidos artistas contemporâneos portugueses.

LAIBACH - IRON SKY

Iron Sky um filme divertido com banda sonora em alto pelo grupo esloveno de musica industrial, Laibach. Iron Sky é um filme de comédia próximo da ficção científica em torno deste trama: como a Segunda Guerra Mundial chega ao fim em 1945, Hans Kammler e outros cientistas alemães fazem um grande avanço na pesquisa de anti-gravidade. A partir de uma base secreta na Antártida, naves espaciais nazis são enviadas para o lado escuro da Lua para determinar a base militar "Schwarze Sonne". O seu plano é construir uma poderosa frota e voltar a conquistar a Terra. O filme decorre no ano 2.018, quando os seus descendentes finalmente voltarem.

Para aqueles que gostaram de "Dead Snow" Norwegian este poderá ser uma obrigação.

LAIBACH

Laibach lançaram An Introduction To… Laibach / Reproduction Prohibited, em 3 September 2012.‘Warm Leatherette’ original gravado pelos The Normal, o primiero lançamento mais tarde Grace Jones fez uma cover. Laibach estrearam, Short Circuit no Mute festival, Roundhouse, Maio 2011, a faixa abre o álbum que demonstra a unique tak na versão cover dos Laibach.
An Introduction To… Laibach / Reproduction Prohibited, segue o recente lançamento Iron Sky OST, the Monumental Retro-Avant-Garde show na Tate Modern. O artwork é de Laibach Kunst, e as sleevenotes de Alexei Monroe.

BOYD RICE / NON

Boyd Rice / NON, lançou  um novo álbum, Back To Mono, em 22 de outubro de 2012. Back To Mono é um retorno às raízes noise de Boyd Ric, e o primeiro album desde Children Of The Black Sun, em 2002.

A tracklist de Back To Mono abrange gravações inéditas - feitas com Wes Eisold (Cold Cave),  o productor de NY  Bryin Dall (Thee Majesty / Hirsute Pursuit) o artista, músico, poeta, e dançarino Ze´v colaborador de longa data- já colaborou com nomes como Merzbow  e Psychic TV, entre outros, ao lado de gravações inéditas de estúdio e ao vivo, a partir do final dos anos 70, além de uma cover dos The Normal ‘Warm Leatherette’.

"Eu estava fazendo musica baseado em samples uma década antes do advento dos samplers, quando todo mundo estava usando baixo, guitarras, teclados e bateria. Foi dito que eu inventei o sampler. Talvez . Na época, eu chamava-o N.M.U. ( unidade de manipulação de ruído). O primeiro lançamento de Boyd Rice / NON é conhecido como o Black Album (1975).

NON BOYD RICE + HIRSUTE PURSUIT

Non & Boyd Rice & Hirsute Pursuit 

Live Show Europa Club, Brooklyn – 24 Jan 2013

CRIME and THE CITY SOLUTION

Crime & the City Solution embarcaram numa turné mundial, a primeiro em mais de 20 anos - fizeram um novo circuito disponível, e o tema, My Love Takes Me There do novo album, American Twilight.
Gravado em Detroit e lançado via Mute, na Primavera de 2013,  será o lançamento o primeiro e novo álbum dos Crime & the City Solution’ desde, Paradise Discotheque, 1990.
Para esta última encarnação, os membros do grupo são: Simon Bonney (vocals), Bronwyn Adams (violin), Alexander Hacke (guitar)
unido ao renomado artista visual  Danielle de Picciotto, Jim White (drums, The Dirty Three), David Eugene Edwards (guitar, 16 Horsepower / Wovenhand), Troy Gregory (bass, The Dirtbombs / Swans / Spiritualised) e Matthew Smith (keyboards).

 O show ao vivo contará com música nova de American Twilight, bem como releituras de canções dos períodos de Berlim e Londres. Também terá, pela primeira vez, um forte componente visual projetado pelo novo membro Danielle de Picciotto.

Usando novamente a projeção em grandes telas, as imagens são acompanhadas na performance ao vivo como uma forma de realização cinematográfica do Crime musicscape, ainda complementadas com grandes narrativas e dinamismo que são a marca da música dos Crime nos shows ao vivo.

A banda lançou recentemente, A History Of Crime – Berlin 1987 – 1991, e a mais recente nova serie An Introduction To… compilações com temas escolhidos pelo grupo. Crime & the City Solution selecionaram as faixas dos três álbuns da época de Berlim: Shine (1988), The Bride Ship (1989) e Paradise Discotheque (1990). O álbum também apresenta swansong, ‘The Adversary’, do filme Until The End Of The World (Wim Wenders, 1991).

Crime & the City Solution tiveram várias encarnações, a primeiro das quais foi formado por Simon Bonney em Sydney, na Austrália, entre 1977/78. Mk II, a banda baseada em Melbourne antes de Simon Bonney foi encorajada a mudar para Inglaterra em 1984 por Mick Harvey (Birthday Party / The Bad Seeds), que entrou para a banda junto com Rowland S Howard, o seu irmão Harry no baixo e um tempo depois Epic Soundtracks  dos Swell Maps na bateria.

 Em 1987, Bonney e Harvey mudam-se para Berlim, e é aqui que a  A History Of Crime – Berlin 1987 – 1991 tem a sua inspiração. A banda nessa altura era composta por; Simon Bonney, Mick Harvey, Einstürzende Neubauten’s Alexander Hacke, Thomas Stern, ex-DAF/Liaisons Dangereuses Chrislo Haas, e Bonney co-autor Bronwyn Adams.

 WORLDWIDE TOUR DATES
18 Oct – Denver – The Oriental (US)
19 Oct – Detroit – Detroit Institute Of Arts, Rivera Court – FREE SHOW
21 Oct – Chicago – Lincoln Hall (US)
22 Oct – Brooklyn – Music Hall of Williamsburg (US)
23 Oct – Los Angeles – The Fonda (US)
24 Oct – San Francisco – Slim’s (US)
26 Oct – London – Queen Elizabeth Hall w/ support from Savages
28 Oct – Lausanne, Les Docks (Switzerland)
29 Oct – Gent, Concertzaal Vooruit (Belgium)
30 Oct – Haarlem, Patronat (Holland)
31 Oct – Berlin, C-Club (Germany)

 

THE RESIDENTS TOUR 2013

Desde 1972, os The Residents comemoram quatro décadas de criatividade desenfreada com "Wonder of Weird," 40th Anniversary Tour, 20 datas em todas nos EUA entre janeiro - fevereiro de 2013 ). Depois de permanecerem anónimos ao longo da sua corrida de quatro décadas, o grupo apresenta-se em concerto como power trio, Randy, Chuck e Bob - guitarra,  keyboards/laptops e vocais.

Com mais de 60 álbuns nos seus créditos - a maioria composta de novo material  de estúdio - e tendo sido pioneiros nas novas formas que vão de gravação independente para tecnologia multimédia e artes performativas, não só sobreviveram por 40 anos, como prosperaram. Ao longo de uma longa carreira, o grupo construiu um enorme e dedicado publico a ser um culto seguinte, enquanto firmemente voando firme sob o radar e desafiando a classificação.  Constantemente desafiando-se e reinventando-se, os Residents nunca falharam, mantém o seu público como convidado.

Quatro décadas depois de anunciar a sua existência neste planeta, os Residents são tão prolíficos quanto sempre o foram. Pioneiros da gravação home studio - o primeiro lançamento foi o já lendário single "Santa Dog" em 1972, dois anos depois o LP, Meet the Residents - e acataram novas ferramentas, como surgiram a partir de um tape  de duas vias, para a tecnologia moderna digital de hoje.


 Pulando cedo e com entusiasmo para os mundos do CD-ROM, DVD, podcasts e vídeo da Internet, também estenderam o seu alcance artístico para o mundo do cinema e vídeo. Agora, pela primeira vez, o génio por trás do catálogo cheio de 563 canções mais vídeo e mídia digital, é brilhantemente captado com o lançamento do Box Set Ultimate!

Para comemorar o 40 º aniversário a Cryptic Corporation está orgulhosa em anunciar o lançamento de Ultimate Box Set (UBS). Embalado num frigorifico de 28 metros cúbicos contém versões abrangendo toda a carreira do grupo, a UBS tém mais de 100 produtos diferentes, incluindo 40 LPs, 50 CDs, e dezenas de singles, EPs, DVDs e CD-ROMs como outros lançamentos. Graças ao empenho do grupo em arquivamento dos seus lançamentos ao longo dos anos, não há re-prensagens na UBS - cada um dos produtos é uma primeira prensagem original.

Além desta vasta gama de produtos de música, cada conjunto de caixa contem também uma das assinaturas dos Reidents, a mascara do globo ocular.

The Residents play a rare show at the Barbican, London on 18 May 2013, their first UK date since 2010’s ATP curated by Matt Groening. 

Sex, shrugs and anti-rock 'n roll - it's all there in The Residents, Wonder of Weird.



  • January 29, 2013 - Phoenix, AZ - Crescent Ballroom
  • January 31, 2013 - Austin, TX - Scottish Rite Theater
  • February 1, 2013 - Dallas, TX - Kessler Theater
  • February 2, 2013 - Dallas, TX - Kessler Theater
  • February 3, 2013 - Houston, TX - Fitzgerald's
  • February 5, 2013 - Atlanta, GA - Variety Playhouse
  • February 6, 2013 - Carrboro, NC - Carrboro Arts Center
  • February 8, 2013 - Northampton, MA - Iron Horse
  • February 9, 2013 - New York, NY - Stage 48
  • February 10, 2013 - Washington, DC - Sixth & I Synagogue
  • February 11, 2013 - Philadelphia, PA - World Café
  • February 12, 2013 - Boston, MA - Institute of Contemporary Art
  • February 15, 2013 - Chicago, IL - Schubas
  • February 16, 2013 - Chicago, IL - Lincoln Hall
  • February 17, 2013 - Milwaukee, WI - Turner Hall
  • February 18, 2013 - Minneapolis, MN - Cedar Cultural Center
  • February 21, 2013 - Seattle, WA - Neptune Theatre
  • February 22, 2013 - Portland, OR - Hawthorne Theatre
  • February 24, 2013 - San Francisco, CA - Bimbo's 365 Club
  • February 25, 2013 - Los Angeles, CA - El Rey Theatre
  • February 26, 2013 - San Diego, CA - Belly Up
  • February 28, 2013 - Santa Cruz, CA - Rio Theatre
  •  

    26/12/2012

    THE RESIDENTS- FIRST STUDIO

    Bem, na verdade, é pré-história. Então, eu tenho esse pedido de mais informações sobre os nossos "primeiros" dias em San Mateo, então eu vim com esta foto do nosso primeiro estúdio. Este é o caminho que parece agora - meio patético, hein!.
     Quero dizer, não é que essas pessoas sabem que tenho um SANTUÁRIO DO CARALHO para cuidar. A vida pode ser tão injusta! De qualquer forma, é na 167 1/2 17th Ave in San Mateo, se você quiser ir dar uma olhada.

    Randy Rose

    THE RESIDENTS

    Ei, isto aqui é mais uma dessas nossas fotos antigas. Esta é de uma sessão de fotos nunca utilizada, embora neste momento eu não sei por que. Chuck a soldar. Ele era um bom soldador, voltou do Sul, antes de se tornar um compositor e arranjador fantástico. A vida é engraçada assim.

    Randy Rose

    THE RESIDENTS

    THE BEATLES PLAY THE RESIDENTS AND THE RESIDENTS PLAY THE BEATLES -  finalmente, aqui é um outtake da sessão de fotos que fizemos para a capa. Estranho, né? But cool weird.

    Randy Rose

    THE RESIDENTS

    Ok, então temos uma foto para a capa alternativa de Duck Stab, excepto que nesta foto eu estou apunhalando Chuck vez do pato. Então eu acho que se tivéssemos decidido usar esta, o nome do álbum teria sido CHUCK STAB!
     Randy Rose

    THE RESIDENTS

    Esta foto é um alternativa capa do nosso álbum Fingerprince lançado em 1977. O álbum foi originalmente intitulado Tourniquet of Roses, mas mudamos quando nós nunca poderiamos vir com uma capa com esse título.. Is this picture goofy or what?

    Randy. 

    THE RESIDENTS- RANDY- CHUCK-BOB-CARLOS

     Randy, Chuck & Bob new official promo photo WOW - Wonder of Weird - Tour, 2013

    Pode-se considerar difícil imaginar que uma banda influente, activa desde finais dos anos 60 e contando entre os seus fãs uma série de bandas influentes, produtores e outras celebridades pudesse de alguma forma permanecerem obscuros.Especulações em torno de identidades dos membros verdadeiros são geralmente rechaçados pela sua equipa de gestão da The Cryptic Corporation- formado por; Jay Clem, Homer Flynn, Hardy Fox, e John Kennedy em 1976.

    Todos os quais tenazmente negam ter alguma vez sido membros da banda (na verdade, Jay Clem e Kennedy deixaram a Corporation em 1982). Muitos fãs de longa data no entanto insistem que Fox e Flynn são os Residents, Flynn o cantor e letrista e Fox o músico, e um aprofundar dos detalhes na Pale Pachyderm Publishing, revela a organização os direitos as performances de Flynn e Fox como os compositores de todas as canções originais dos Residents.

    Sem o drama de manterem a sua vida pessoal separada da música, têm sido capazes de reunir décadas de música experimental que leva pedaços de música popular ao jazz experimental e tritura-os juntamente com a sua própria estética muito anti-pop.

    Completam 40 anos ( conseguir ver ao vivo por duas vezes, a minha banda favorita Nº 1) de ação contínua, cuja ajuda não só no negócio musical, mas nos círculos da arte em geral, tem os entronizado como um dos principais, se não o principal paradigma da cultura americana. Carreira de tão longa duração, sem desculpas quaisquer para períodos de equitação e baixa produtividade de arte ou complacência de esforços anteriores.

    Os Residents não poderiam pular o declínio normal da produtividade na sua carreira, mas nos últimos 20 anos a sua contribuição – embora, altamente controversa, nunca foi de menos qualidade. Nos últimos dois anos, há uma nova onda na sua música que desperta inúmeros fãs e produziram faixas que abalaram multidões com sua vantagem e bravura, bem como os temas que a banda escolheu para apresentar.

    As suas preocupações etnológicas e cosmológicas são conhecidos por serem favorito deles, e a sua curiosidade para incluir os povos e mitos controversos no seu trabalho. As suas melhores peças (Eskimó, The Mole Trilogy, Cube-E) aconteceram e incluiram esses temas.

    No ano passado, no entanto, andaram em tourné e uma série de lançamentos, sob o nome “The Residents Talking Light”. Este projeto inclui todos os membros da banda: a turné a solo teatral do seu vocalista (e marca ícone) que se chama “Randy” (que por sinal, pode ser o seu nome real) sob o nome de “Sam’s Enchanted Evening” no disco “Coochie Brake” Randy não participa, mas inclui um membro mais antigo da banda, assim como os membros da recorrente formação actual.

    Mesmo no mundo de bandas de estranhos, os Residents têm praticamente sempre cantarolado a sua própria melodia. Por isso num momento quando as bandas estão lançando um Kickstarter para financiar o seu próximo disco, os Residents têm basicamente decidido forçar os fãs a iniciar os seus próprios Kickstarters apenas para comprar o seu próximo disco.

    Eu disse album? Eu quis dizer box set. Eu disse box set? EU QUIS DIZER O MAIOR SET OF MUSIC ALGUMA VEZ JÁ LANÇADO POR UMA BANDA NA HISTORIA DA MUSICA.

    Sério, essa coisa vem num frigorifico de trabalho, para começar. E inclui tudo o que já lançaram na sua história de 40 anos, incluindo 40 LPs, 50 CDs, e aproximadamente uma tonelada métrica “butt-ton of singles”, EPs, DVDs e sabe Deus o que mais. E inclui ainda uma máscara do olho autêntico e um chapéu alto. Quem sabe, talvez até mesmo um usado pelos Residents reais, uma vez que eles abandonaram os globos oculares ultimamente em favor de uma máscara de velho.

    Oh, a propósito, aqui é a parte mais interessante: Cada Ultimate Box (UBS) será fixado por uns meros US $ 100.000. Não, isso não é um erro de digitação. Pode literalmente comprar uma casa em Pittsburgh agora por menos do que o preço desta caixa.

    Depois de terem arrecadou um bom milhão a partir desses conjuntos de caixa, os Residents, não abrandam, vão começar 2013 com um monte de datas da turné comemorando o seu 40 º aniversário como banda. É IMPRESSIONANTE.

    Apesar de empurrando após 40 anos, não há sinais de que a sua marca única de anti-establishment está perdendo vapor, o passar dos anos criaram novos mundos sonoros, originais e desafiadores para a imaginação. E embora muitas vezes não sendo reconhecidos, vários admitiram a sua admiração pela banda. They Might Be Giants e Animal Collective contam -se como influências enormes. Pen Gillette considera-os a sua banda favorita, assim como Matt Groening. Eles perfuraram através de camadas superficiais da cultura pop, mas mantiveram as suas identidades seguras e a sua filosofia musical intacta.

    Um grupo de rock avant-garde que lançaram mais de 100 álbuns, ajudaram a criar os vídeos de música moderna, e produziram algumas das mais arrepiantes canções originais e covers, durante cerca de 4 décadas, tudo ao mesmo tempo permaneceram anónimos para o público até ao início de 2010.

    No album, Coochie Brake, pelo menos eles nem sequer são chamados The Residents, preferiram Sonidos de la Noche (Sounds Of The Night). Claramente uma ofuscação (despite being an oxymoron) da the Residents raison d’être. Os dois artistas têm feito no último par de anos, performances para promover a sua estética encadernada numa esfera superior, trazendo ar fresco ao seu som
    .É mais como uma peculiar banda com falta de espaço, que se pode imaginar tocando horas após horas em clubes pequenos.

    A versão do álbum, inclui ‘Lying Horse Rock’, é ainda melhor. Os dois (Lying Horse Rock) e extra lengthy (West And Kimbrell)(Mentir Rocha cavalo) e extra lengthy (West And Kimbrell)compõem o EP, ilustram o sentimento maravilhoso e terrível de se perder no pântano de “Coochie Brake”. Soa como se todas aquelas músicas ouvidas no álbum principal fossem apenas uma introdução a uma viagem espaço-dimensional que a banda já fez passar. Ela sente-se como viajar na alma da besta com o presente.

    Ah, não sabe? Os Residents “revelaram” as suas identidades em 2010. Aparentemente, os seus nomes são Randy Rose ( Mr. Skull),  Chuck , Charles Bobuck  (Bob)

    Um outro membro chamado Carlos o baterista fazia parte da banda, e até mesmo fez os vocais no lugar de Mr. Skull para um álbum, que foi creditado como Sonidos De La Noche, mas deixou a banda. The Residents Sonida de la noche/Cootchie Brake Lying Horse Rock, 2011.

    Então agora você sabe. Foi-se metade do misterio.

    The Residents “Wonder of Weird” Tour Dates:

    January 29, 2013 – Phoenix, AZ – Crescent Ballroom
    January 31, 2013 – Austin, TX – Scottish Rite Theater
    February 1, 2013 – Dallas, TX – Kessler Theater
    February 2, 2013 – Dallas, TX – Kessler Theater
    February 3, 2013 – Houston, TX – Fitzgerald’s
    February 5, 2013 – Atlanta, GA – Variety Playhouse
    February 6, 2013 – Carrboro, NC – Carrboro Arts Center
    February 8, 2013 – Northampton, MA – Iron Horse
    February 9, 2013 – New York, NY – Stage 48
    February 10, 2013 – Washington, DC – Sixth & I Synagogue
    February 11, 2013 – Philadelphia, PA – World Café
    February 12, 2013 – Boston, MA – Institute of Contemporary Art
    February 15, 2013 – Chicago, IL – Schubas
    February 16, 2013 – Chicago, IL – Lincoln Hall
    February 17, 2013 – Milwaukee, WI – Turner Hall
    February 18, 2013 – Minneapolis, MN – Cedar Cultural Center
    February 21, 2013 – Seattle, WA – Neptune Theatre
    February 22, 2013 – Portland, OR – Hawthorne Theatre
    February 24, 2013 – San Francisco, CA – Bimbo’s 365 Club
    February 25, 2013 – Los Angeles, CA – El Rey Theatre
    February 26, 2013 – San Diego, CA – Belly Up
    February 28, 2013 – Santa Cruz, CA – Rio Theatre

    22/12/2012

    ALÇEU VALENÇA MILTON NASCIMENTO CIDADE NEGRA

    De «férias» até ao dia 3 de Janeiro, o Espaço Brasil, em Alcântara, Lisboa, regressará com alguns dos principais nomes da música brasileira, como Alceu Valença, Cidade Negra, Milton Nascimento e Roberta Sá.

    Nos dias 4 e 5 de Janeiro teremos Roberta Sá, uma das principais vozes da nova geração da música do Brasil, que surge no nosso país para promover o seu mais recente álbum, «Segunda Pele». A cantora recebe aliás no dia cinco António Zambujo, que, a 6 de Janeiro, estreia o projecto «Um Olhar Português sobre a música Brasileira», uma iniciativa que vai ocorrer todos os domingos (18h00). Este projecto «pretende mostrar as influências brasileiras através de um concerto exclusivo onde o músico português interpreta músicas do país irmão», revela um comunicado. António Zambujo vai interpretar Chico Buarque.

    Nos dias 10, 11 e 12 teremos um dos principais nomes da música brasileira, referência da música nordestina, concretamente de Alceu Valença. A segunda edição de «Um olhar português sobre a música brasileira» (dia 13) é da responsabilidade do duo Couple Coffee.

    Os Cidade Negra, um dos nomes da música  pop brasileira, aterram nos dias 18 e 19 de Janeiro. No dia seguinte os HMB revelam as suas tendências sonoras do Brasil.

    Zé Ricardo e convidados portugueses cantarão nos dias 25 e 26, enquanto os The Black Mamba participam no «Um olhar português sobre a música brasileira» a 27.

    Fevereiro começa em grande com Milton Nascimento nos dias 1 e 2 de Fevereiro (Carminho como convidada) e JP Simões no «Um olhar português sobre a música brasileira».

    LinkWithin

    Related Posts with Thumbnails